sicnot

Perfil

Mundo

Menina síria que relata guerra no Twitter envia carta a Trump

Bana Alabed, a criança de apenas 7 anos conhecida por relatar, através da rede social Twitter, a guerra na Síria, escreveu uma carta aberta com o novo Presidente norte-americano, Donald Trump, como destinatário.

A conta da criança síria no Twitter ficou mundialmente conhecida devido às publicações que relatavam os horrores do conflito no país.

A mãe de Bana - que a ajuda a gerir a conta na rede social - enviou o conteúdo da carta para a BBC e explicou que a filha a escreveu dias antes da tomada de posse de Donald Trump.

Bana Alabed e a mãe, Fatemah.

Bana Alabed e a mãe, Fatemah.

© Umit Bektas / Reuters

Eis a versão traduzida da carta escrita pela criança síria:

"Caro Donald Trump,

O meu nome é Bana Alabed e sou uma rapariga síria de 7 anos, de Alepo.

Vivi na Síria durante toda a minha vida antes de deixar a zona este de Alepo em dezembro do ano passado. Sou uma das crianças sírias que foram vítimas do conflito sírio.

Mas atualmente, vivo em paz na minha nova casa, na Turquia. Em Alepo, estudava numa escola que ficou destruída depois de uma explosão.

Alguns dos meus amigos morreram.

Estou muito triste por eles e queria que estivessem aqui comigo, porque poderíamos brincar juntos. Em Alepo não podia brincar, era a cidade da morte.

Na Turquia, posso ir à rua e divertir-me. Posso ir à escola, apesar de ainda não o ter feito. É por isto que a paz é tão importante para todos, incluindo para ti.

No entanto, milhões de crianças sírias não estão na mesma situação que eu e continuam a sofrer em diferentes zonas da Síria. Estão a sofrer por causa dos adultos.

Sei que vais ser o Presidente dos Estados Unidos, será que podias salvar as crianças e o povo sírio? Tens de fazer algo pelas crianças sírias porque eles são tão crianças como os teus filhos e merecem ter paz, como tu tens.

Se me prometeres que vais fazer algo pelas crianças sírias, podes contar desde já com a minha amizade.

Anseio por saber o que vais fazer pelas crianças na Síria."

Pode ler aqui a versão original

Bana e a família fugiram de Alepo em dezembro e vivem agora na Turquia, um país que apoia a oposição síria. Contudo, a posição do novo Presidente norte-americano sobre esta matéria ainda não é clara.

Trump já manifestou, aliás, a vontade de manter uma relação forte com a Rússia de Vladimir Putin, um fiel apoiante do Presidente sírio, Bashar al-Assad.

© Marko Djurica / Reuters

O apelo da menina síria surge numa altura em que Irão, Rússia e Turquia acordaram um "mecanismo conjunto" de vigilância do cessar-fogo na Síria.

  • "O que é isto, mamã?"
    36:23
  • Fim de semana de muito frio e vento forte
    2:08

    País

    Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, vem aí mais frio e as temperaturas mínimas negativas vão regressar a alguns pontos do país. Prevê-se também vento intenso para as próximas 48 horas.

  • O ensino à distância em Portugal
    4:12

    País

    Em Portugal, o ensino básico e secundário à distância já conta com 300 alunos e com a preciosa ajuda das novas tecnologias. É através do computador que a escola viaja e acompanha os alunos, alguns com doenças que não os permitem ir às aulas, outros que são atletas de alta competição e que têm a maior parte do tempo ocupado por treinos ou ainda os que fazem parte de famílias itenerantes, como é o caso dos que vivem no circo e andam de terra em terra.

  • Aprender a jogar badminton ao ritmo do samba
    2:54

    Mundo

    No Brasil, a correspondente da SIC foi conhecer um projeto social no Rio de Janeiro que mistura samba e desporto. Um desporto que ainda é pouco praticado mas que tem sido fundamental para transformar a vida de jovens das favelas e para descobrir novos talentos do badminton brasileiro.

    Correspondente SIC