sicnot

Perfil

Mundo

Trump anuncia que vai pedir uma investigação à alegada fraude eleitoral

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou hoje que vai pedir uma investigação sobre a alegada fraude eleitoral, na votação de novembro. O anúncio de Trump entra em contradição com o que foi divulgado pelo porta-voz da Casa Branca que, ainda ontem, afirmou que o Presidente não pretendia investigar a suposta fraude eleitoral.

"Vou pedir uma grande investigação sobre fraude eleitoral, incluindo os eleitores registrados para votar em dois estados, aqueles que são ilegais e... mesmo aqueles que estavam registados que morreram (e muitos já há algum tempo). Dependendo dos resultados, vamos reforçar os procedimentos de votação!", informou o Presidente, num post no Twitter.

Trump considerou que as investigações se concentrarão em dois estados e em votos ilegais, apesar de numerosos estudos mostrarem que a fraude eleitoral é rara nos Estados Unidos.


O Presidente dos EUA afirmou recentemente aos líderes do Congresso norte-americano que está convicto de que até cinco milhões de pessoas terão votado ilegalmente nas eleições presidenciais e gerais de 08 de novembro de 2016.


"Nas suas palavras, entre três e cinco milhões de pessoas poderão ter votado de forma ilegal, um dado que tem por base estudos a que tivemos acesso", declarou na terça-feira o porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, durante a habitual conferência de imprensa diária da Presidência dos Estados Unidos.


Até à data, não foi apresentada publicamente qualquer prova que sustente as suspeitas de fraude eleitoral.
Se estas alegações forem confirmadas, tal cenário irá constituir um dos maiores escândalos políticos na história do país.


O porta-voz da Casa Branca ressalvou, no entanto, que Donald Trump tem confiança nos resultados das eleições. O magnata do imobiliário perdeu o voto popular contra a sua adversária democrata Hillary Clinton, que conseguiu mais 2,9 milhões de votos populares.


Mas foi Donald Trump que garantiu a vitória que interessava: a maioria dos 'grandes eleitores' no Colégio Eleitoral (processo que escolhe diretamente o Presidente), 304 contra os 227 da democrata.
Nas mesmas declarações, Sean Spicer indicou que, segundo "estudos e provas" que "pessoas" apresentaram a Trump, 14% dos eleitores "não eram cidadãos norte-americanos".


No passado, Donald Trump já tinha citado um estudo do centro de pesquisa norte-americano Pew Center on the States de 2012 segundo o qual mais de "1,8 milhões de pessoas mortas figuravam nos cadernos eleitorais".


Este relatório não fornecia qualquer elemento que permitisse pensar que outras pessoas pudessem ter votado em nome destes eleitores falecidos.


Trump também chegou a citar um relatório da Old Dominion University que sugeria que um grupo de cidadãos não americanos (cerca de 14%) afirmava estar registado nos cadernos eleitorais. A fiabilidade deste estudo foi fortemente questionada.

Com Lusa

  • Drone inglês evita execução do Daesh na Síria
    2:08

    Mundo

    A Força Aérea britânica divulgou esta terça-feira um vídeo que mostra um drone a parar uma execução pública que estaria prestes a acontecer às mãos do Daesh, na Síria. As imagens, apesar de cortadas pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, mostram várias pessoas na rua, uma explosão e, depois, a fuga.

  • Atrás das Câmaras em Fátima
    2:48
  • Como fazer negócios no mercado dos leilões
    7:15
  • PS quer reconquistar poder em Vila Viçosa
    2:06

    Autárquicas 2017

    Ana Catarina Mendes insistiu na ideia de que o PSD escolheu um modo perigoso de fazer campanha, ao insistir nas críticas à lei da imigração. Ana Catarina Mendes, secretária-geral adjunta do PS, esteve esta quarta-feira em campanha no distrito de Évora.

  • Troca de argumentos entre Medina e Cristas marca campanha em Lisboa
    2:34

    Autárquicas 2017

    Esta quarta-feira o dia de campanha em Lisboa ficou marcado por uma troca de argumentos entre Fernando Medina e Assunção Cristas. O atual presidente da Câmara acusa a candidata do CDS de não respeitar os lisboetas por admitir que pode não exercer o cargo de vereadora até ao fim do mandato. Já Assunção Cristas garante que se for eleita cumpre o mandato até ao fim.

  • "Não toleramos ameaças de ninguém"
    2:13
  • Número de tartarugas marinhas está a aumentar

    Mundo

    O número de tartarugas marinhas está a crescer, levando investigadores a considerar que os esforços para salvar estes animais são uma "história de sucesso da conservação global", indica um estudo divulgado esta quarta-feira.

  • Tubarões vivem mais tempo do que se pensava

    Mundo

    Uma revisão de dados sobre avaliação da idade dos tubarões revela que muitas espécies têm maior longevidade do que se pensava, o que poderá obrigar a uma revisão dos planos de conservação das mais ameaçadas.

  • Como mudar um templo com 135 anos e 2 mil toneladas... de lugar

    Mundo

    Um templo budista do século XIX é um dos mais populares em Xangai, na China. Visitado diariamente por milhares de pessoas, precisava de ser relocalizado para evitar que uma tragédia acontecesse. E mesmo pesando cerca de duas mil toneladas, a missão acabou por se provar possível.

  • Casal morre com horas de diferença depois de 75 anos de casamento

    Mundo

    George e Jean Spear morreram no passado dia 15 de setembro, no hospital de Queensway Carleton, em Ottawa (Canadá), depois de terem celebrado 75 anos de casamento em agosto. A britânica de 94 anos conheceu o candaniano em 1941, num salão de bailes, em Londres. George Spear servia as Forças Armadas durante a Segunda Guerra Mundial.

    SIC