sicnot

Perfil

Mundo

Suspeito do ataque a mesquita no Quebeque telefonou à polícia para se entregar

© Mathieu Belanger / Reuters

Um dos dois presumíveis autores do ataque de domingo numa mesquita no Quebeque em que morreram seis pessoas telefonou à polícia para se entregar, disse à imprensa um inspetor da polícia.

Segundo Denis Turcotte, inspetor, o homem, de "vinte e muitos, trinta e poucos anos", ligou para a linha de emergência 15 minutos depois de as forças de segurança serem informadas do tiroteio para indicar o local onde se entregaria.


A polícia suspeita que o homem seja um dos dois que abriram fogo durante a oração no Centro Cultural Islâmico da Cidade do Quebeque cerca das 19:30 de domingo (03:00 de segunda-feira em Lisboa). O outro suspeito foi detido no local.


O ataque levou hoje autoridades religiosas islâmicas da Holanda a decidir que as orações importantes passam a realizar-se à porta fechada.


A Mesquita Azul de Amsterdão, a Mesquita as-Sunnah de Haia, a Mesquita Essalam de Roterdão e a Mesquita Omar Al Faruq de Utrecht anunciaram num comunicado conjunto que os seus responsáveis se "sentem obrigados a fechar as portas da mesquita durante as orações".

As quatro mesquitas são frequentadas por vários milhares de pessoas diariamente.
"Atos impiedosos como o que ocorreu no Quebeque contribuem para o ódio global aos muçulmanos", disse à agência France-Presse Said Bouharrou, do Conselho Holandês e Marroquino de Mesquitas.


"Uma mesquita é um local aberto que deve ser acessível em qualquer momento do dia a todos os que procuram paz e serenidade. Mas temos de estar alerta com estes ataques terroristas. É dececionante ter de aplicar medidas de segurança restritivas", afirmou.


Seis pessoas morreram e 17 ficaram feridas, cinco com gravidade, quando pelo menos dois homens abriram fogo numa mesquita da cidade do Quebeque, um incidente qualificado pelo primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, de "ataque terrorista".

Lusa

  • Outros casos de fuga de prisões portuguesas
    2:58

    País

    Nos últimos cinco anos, 52 reclusos fugiram de cadeias portuguesas, mas foram todos recapturados. Entre 1999 e 2009, fugiram oito reclusos da prisão de Caxias. Em 2005, um homem condenado a 21 anos de prisão fugiu de Coimbra, viajando por França e pela Polónia. Manuel Simões acabou por ser detido no regresso a Portugal.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.