sicnot

Perfil

Mundo

UE considera que confrontos na Ucrânia são uma violação flagrante do cessar-fogo

(Arquivo)

Inna Varenytsia

Os novos confrontos no leste da Ucrânia são uma "violação flagrante do cessar-fogo" imposto pelos acordos de Minsk e devem terminar imediatamente, defendeu esta terça-feira o Serviço de Ação Externa da União Europeia (UE).

"Os combates intensos em torno de Avdiivka nos últimos dias, que implicam um pesado bombardeamento com armas proibidas e causam um grande número de vítimas, são uma violação flagrante do cessar-fogo estipulado nos acordos de Minsk", lê-se no comunicado.

O comando militar ucraniano denunciou hoje novos bombardeamentos massivos contra a cidade de Avdiivka, cerca de 15 quilómetros ao norte de Donetsk, o principal reduto dos separatistas pró-russos no leste da Ucrânia.

"As tropas de ocupação atacaram na noite passada os arredores de Avdiivka com mísseis Grad (...) várias casas foram destruídas", segundo o quartel-general das tropas ucranianas deslocadas na região do conflito.

De acordo com o comunicado do comando militar, publicado na rede social Facebook, os separatistas lançaram mais de 80 mísseis Grad contra as posições das tropas ucranianas em Avdiivka, zona onde as ações militares recrudesceram nos últimos dias.

O agravamento da situação obrigou o Presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, a interromper a sua visita oficial à Alemanha na noite de segunda-feira.Segundo o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, que responsabiliza as "tropas de ocupação russas" pelo ataque, os bombardeamentos deixaram as cidades de Avdiivka e Yasinovataya sem eletricidade.

"Nesta região mais de 400.000 pessoas ficaram sem eletricidade, água e aquecimento", de acordo com uma declaração do ministério divulgada na segunda-feira.

"Estas ações do Kremlin podem ser qualificadas como um crime de guerra, já que violam a Convenção de Genebra", segundo o ministério, apelando à comunidade internacional que pressione a Rússia para por fim à escalada de violência e evitar uma catástrofe humanitária.Em dois dias, oito militares ucranianos morreram e outros 26 ficaram feridos, segundo aquele ministério.

Por seu lado, a chefia das milícias pró-russos da autoproclamada República Popular de Donetsk assegurou hoje que entre domingo e segunda-feira as tropas ucranianas sofreram 78 baixas mortais.

Quase dois anos depois da assinatura dos acordos de Minsk para a paz na Ucrânia, os combates continuam esporadicamente na zona de conflito e as partes estão longe de cumprir com o pacto mediado pela Rússia, França e Alemanha.

Os acordos contemplam, para além do cessar-fogo, a concessão de um estatuto de governo especial da região separatista pró-russa, a reforma constitucional e a celebração de eleições locais e nos territórios separatistas.Kiev, no entanto, nega-se a avançar com a parte política dos acordos sem recuperar o controlo de trechos da fronteira com a Rússia, que estão nas mãos dos rebeldes.Segundo dados da ONU, em quase três anos de conflito na Ucrânia, foram mortos em torno de 10.000 pessoas, entre combatentes e civis.

Lusa

  • "Estamos vivos"
    11:41

    Reportagem Especial

    Os incêndios de 15 de outubro provocaram sete milhões de euros de prejuízos em empresas da região Norte. Castelo de Paiva foi o concelho mais atingido, o fogo destruiu várias casas e empresas que davam trabalho a cerca de 200 pessoas. Um mês depois do incêndio, a Reportagem Especial da SIC foi ver o que está a ser feito para ajudar a população.

  • Administrador recebia 420 mil € por ano quando aldeamento passava dificuldades
    4:39

    Operação Marquês

    A Caixa Geral de Depósitos tentou cortar para metade o salário do presidente do Conselho de Administração de Vale do Lobo, mas não conseguiu. Diogo Gaspar Ferreira ganhava 420 mil euros por ano, quando o empreendimento estava enterrado em dívidas. A Autoridade Tributária estima também que o arguido da Operação Marquês não tenha declarado 400 mil euros pagos pelo aldeamento.

  • Estudante português desaparecido no mar Báltico

    País

    Um jovem português de 21 anos desapareceu na segunda-feira, dia 13 de novembro, enquanto fazia uma viagem de cruzeiro entre a cidade finlandesa de Helsínquia e a capital da Suécia, Estocolmo. As autoridades locais fizeram buscas na madrugada em que Diogo Penalva caiu ao mar Báltico, por volta das duas da manhã.

  • Notas e moedas têm os dias contados?
    6:27
  • Político oferece 1,3 milhões por decapitação de atriz

    Mundo

    Deepika Padukone é uma das personagens principais do filme que retrata a relação entre uma rainha hindu e um governante muçulmano. O filme enfureceu um político do Governo indiano, que ofereceu 1,3 milhões de euros como recompensa a quem decapitasse a atriz. A polícia já destacou agentes para proteger a atriz, bem como a sua família.

  • Paris inaugura primeiro restaurante naturista

    Mundo

    Para entrar, é preciso retirar a roupa e apenas as mulheres podem permanecer calçadas. O primeiro restaurante naturista de Paris abriu em novembro para responder a uma necessidade em França, principal destino do mundo para os praticantes de nudismo.

  • Peru faz aparição especial na Casa Branca
    1:10

    Mundo

    Os norte-americanos estão a preparar-se para o tradicional Dia de Ação de Graças, assinalado na próxima quinta-feira. O tradicional peru fez esta terça-feira uma aparição especial na sala de conferências de imprensa, na Casa Branca, em Washington. O peru é o prato tradicional no Dia de Ação de Graças, uma data de louvor a Deus, que remonta ao século XVII e que é celebrada na quarta quinta-feira de novembro, sobretudo nos Estados Unidos da América e no Canadá.

  • Sara Sampaio brilha em Xangai
    1:50