sicnot

Perfil

Mundo

Com Trump na Casa Branca, Merkel assume que UE terá de fazer mais coisas "sozinha"

A chanceler alemã, Angela Merkel, admitiu hoje que "no futuro" a União Europeia (UE) terá de fazer mais coisas "sozinha" devido à postura assumida pela nova administração norte-americana liderada pelo Presidente Donald Trump."Existirão questões que poderemos abordar em conjunto (com os Estados Unidos) para os nossos interesses comuns e existirão também tarefas que, no futuro, teremos de fazer sozinhos", disse Merkel, numa conferência de imprensa no final da cimeira europeia informal que decorreu hoje em La Valletta, em Malta.

A mudança na Casa Branca não estava na agenda oficial do encontro, mas acabou por ser um dos assuntos mais comentados.

Entre os assuntos sobre os quais a UE concorda e poderá continuar a cooperar com Washington está, na opinião de Merkel, a luta contra o terrorismo e o radicalismo islâmico.

Mas, a chanceler alemã fez questão de reiterar que não concorda com uma luta que lança uma "suspeita generalizada" sobre pessoas "de certos países ou de certas religiões".

Merkel já tinha criticado as medidas anti-imigração de Trump que suspendem a chegada aos Estados Unidos de todos os refugiados por um período mínimo de 120 dias - para os refugiados sírios o prazo é indeterminado -- e que impedem a entrada no território americano durante três meses aos cidadãos de sete países de maioria muçulmana: Iraque, Irão, Iémen, Líbia, Somália, Sudão e Síria.

Sobre outros assuntos divergentes, a chanceler alemã defendeu que o bloco europeu deve encontrar a sua posição, em conformidade com os seus "valores comuns".

"A UE deve atuar unida e tomar o seu destino nas suas próprias mãos", sublinhou Merkel, especificando, por exemplo, um maior envolvimento em África, a negociação de novos acordos comerciais e um aprofundamento dos esforços na política de defesa.

Neste último ponto, a Alemanha, segundo frisou a chefe do governo alemão, está a tomar medidas e a melhorar as suas "capacidades defensivas".

Merkel destacou ainda a necessidade de mostrar uma maior "responsabilidade" para com o desenvolvimento económico e a estabilidade política no continente africano, aspetos que estão intrinsecamente relacionados com as causas que provocam o fluxo de migrantes e de refugiados que tem afetado nos últimos anos a Europa.

Lusa


  • Coreia do Norte lança novo míssil balístico

    Mundo

    O Pentágono detetou esta sexta-feira mais um lançamento de um míssil balístico por parte da Coreia do Norte. O primeiro-ministro japonês já confirmou o lançamento, que terá atingido a zona económica exclusiva, no Mar do Japão.

  • Menino perdido na Praia da Luz foi levado à GNR por turista
    1:11

    País

    Um menino inglês, de sete anos, esteve desaparecido na quinta-feira na Praia da Luz, no Algarve, depois de se ter perdido dos pais. A GNR colocou duas equipas de investigação no local, mas ao fim de uma hora e meia o rapaz apareceu na esquadra de Lagos acompanhado por um turista a quem terá pedido ajuda.

  • Mais viagens mas menos turistas de Portugal
    1:22

    País

    Os residentes em Portugal - sejam portugueses ou estrangeiros - realizaram quatro milhões de viagens turísticas, só no primeiro trimestre do ano. Um aumento de mais de 6% nas viagens dentro do país face ao período homólogo e de mais de 15% nas viagens para fora, de avião. O estudo é do INE, o Instituto Nacional de Estatística, que permite fazer o retrato mais claro de quem viaja e porquê.

  • Algarve sozinho gera metade dos bens transacionáveis em Portugal
    4:14

    SIC 25 Anos

    O Algarve quase não tem indústria e os especialistas consideram que é excessivamente dependente do turismo. Ainda assim, sozinho contribui com metade do que Portugal gera em bens transacionáveis. A região tem problemas graves, como a falta de médicos e um custo de vida muito alto, mas continua a atrair a maior parte dos turistas e muitos estrangeiros decidem mesmo escolher a região para viver.