sicnot

Perfil

Mundo

François Fillon enfrenta novas revelações sobre emprego da mulher

© Pascal Rossignol / Reuters

Penelope Fillon, mulher do candidato presidencial François Fillon, suspeita de ter beneficiado de empregos fictícios, recebeu mais 45 mil euros de indemnização pagos pela Assembleia Nacional francesa, indica o semanário Canard Enchaîné na sua edição de quarta-feira.

Segundo o semanário satírico, que sai na quarta-feira, a mulher do candidato recebeu em 2002 "16 mil euros de indemnização, o equivalente a cinco meses de salário", após um contrato de trabalho de cinco anos com o marido, apesar de ter sido contratada de novo pelo substituto de Fillon na Assembleia, Marc Joulard.

A publicação revela também que Penelope Fillon voltou a receber em novembro de 2013 "29 mil euros de bónus" depois de ter trabalhado de novo mais um ano e meio para o marido, que voltou a ser deputado.

François Fillon já refutou, em comunicado, as novas revelações do jornal, considerando que "são mentiras" e que os novos elementos apresentados "têm erros manifestos", confundido várias somas que constam dos pagamentos.

A justiça francesa abriu um inquérito para esclarecer qual foi o trabalho efetuado durante 15 anos por Penelope Fillon como assistente parlamentar do marido em vários períodos (1988-1990, 1998-2002, 2012-2013) e de Marc Joulaud (2002-2007).

Depois das primeiras notícias sobre a contratação de familiares lhe terem causado dificuldades na corrida presidencial, Fillon deu na segunda-feira uma longa conferência de imprensa na qual defendeu a legalidade dos empregos que deu à mulher e aos dois filhos e garantiu que estes foram remunerados por um trabalho efetivo.

Até há pouco favorito nas sondagens, François Fillon surge agora como terceiro num inquérito publicado hoje sobre as intenções de voto para as eleições de abril, com 20%, atrás da candidata da extrema-direita Marine Le Pen (25%) e do centrista Emmanuel Macron (23%).

Lusa

  • François Fillon em queda nas sondagens
    1:21

    Mundo

    A campanha presidencial francesa está repleta de escândalos. Desta vez foi o candidato independente Emmanuel Macron que se viu obrigado a negar um caso extra-conjugal. François Fillon continua a cair a pique nas sondagens.

  • Fillon pede desculpa por ter empregado a mulher e os filhos
    1:53

    Mundo

    O candidato da direita francesa às presidenciais pode vir a ser acusado de financiamento ilegal de campanha eleitoral e tráfico de influências. Numa conferência de imprensa, François Fillon pediu desculpa aos franceses por ter empregado a mulher e os filhos mas diz que não tem nada a esconder, reafirmando que os 830 mil euros pagos à esposa estão justificados.

  • Fillon não tem "nada a esconder"
    0:32

    Mundo

    François Fillon diz que não tem nada a esconder. O candidato do centro-direita às eleições presidenciais francesas mantém a candidatura. Isto aconteceu depois das autoridades judiciais estarem a investigar a suspeita de utilização de dinheiros públicos na contratação da mulher.

  • Sismo registado esta manhã na região de Lisboa

    País

    Um sismo foi sentido esta manhã na região da Grande Lisboa. O abalo foi registado às 7h44, com epicentro em Sobral de Monte Agraço e magnitude de 4.3, informa o Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

    Em atualização

  • GNR resgata 45 sírios no mar Egeu
    2:28

    Crise Migratória na Europa

    A Guarda Nacional Republicana já resgatou quase 300 migrantes no mar Egeu, ao largo da Grécia, desde o início de maio. Esta quarta-feira de madrugada, os militares salvaram 45 sírios que tentavam chegar à Grécia numa embarcação de borracha.

  • Marine devolve bandeira do Japão 73 anos depois 
    2:13

    Mundo

    Setenta e três anos depois da batalha mais sangrenta do Pacífico, um veterano dos Estados Unidos cumpriu uma promessa pessoal. Marvin Strombo devolveu à família a bandeira da sorte de um soldado japonês, morto em 1944, em Saipan, na II Guerra Mundial. 

  • Autoridades usam elefantes para resgatar pessoas das cheias na Ásia
    1:31

    Mundo

    Mais de 215 pessoas morreram nas inundações que estão a devastar o centro da Ásia, e estima-se que três milhões tiveram de abandonar as casas. As autoridades estão a usar elefantes para resgatar locais e turistas das zonas mais afetadas e avisam que há dezenas de pessoas desaparecidas.