sicnot

Perfil

Mundo

François Fillon enfrenta novas revelações sobre emprego da mulher

© Pascal Rossignol / Reuters

Penelope Fillon, mulher do candidato presidencial François Fillon, suspeita de ter beneficiado de empregos fictícios, recebeu mais 45 mil euros de indemnização pagos pela Assembleia Nacional francesa, indica o semanário Canard Enchaîné na sua edição de quarta-feira.

Segundo o semanário satírico, que sai na quarta-feira, a mulher do candidato recebeu em 2002 "16 mil euros de indemnização, o equivalente a cinco meses de salário", após um contrato de trabalho de cinco anos com o marido, apesar de ter sido contratada de novo pelo substituto de Fillon na Assembleia, Marc Joulard.

A publicação revela também que Penelope Fillon voltou a receber em novembro de 2013 "29 mil euros de bónus" depois de ter trabalhado de novo mais um ano e meio para o marido, que voltou a ser deputado.

François Fillon já refutou, em comunicado, as novas revelações do jornal, considerando que "são mentiras" e que os novos elementos apresentados "têm erros manifestos", confundido várias somas que constam dos pagamentos.

A justiça francesa abriu um inquérito para esclarecer qual foi o trabalho efetuado durante 15 anos por Penelope Fillon como assistente parlamentar do marido em vários períodos (1988-1990, 1998-2002, 2012-2013) e de Marc Joulaud (2002-2007).

Depois das primeiras notícias sobre a contratação de familiares lhe terem causado dificuldades na corrida presidencial, Fillon deu na segunda-feira uma longa conferência de imprensa na qual defendeu a legalidade dos empregos que deu à mulher e aos dois filhos e garantiu que estes foram remunerados por um trabalho efetivo.

Até há pouco favorito nas sondagens, François Fillon surge agora como terceiro num inquérito publicado hoje sobre as intenções de voto para as eleições de abril, com 20%, atrás da candidata da extrema-direita Marine Le Pen (25%) e do centrista Emmanuel Macron (23%).

Lusa

  • François Fillon em queda nas sondagens
    1:21

    Mundo

    A campanha presidencial francesa está repleta de escândalos. Desta vez foi o candidato independente Emmanuel Macron que se viu obrigado a negar um caso extra-conjugal. François Fillon continua a cair a pique nas sondagens.

  • Fillon pede desculpa por ter empregado a mulher e os filhos
    1:53

    Mundo

    O candidato da direita francesa às presidenciais pode vir a ser acusado de financiamento ilegal de campanha eleitoral e tráfico de influências. Numa conferência de imprensa, François Fillon pediu desculpa aos franceses por ter empregado a mulher e os filhos mas diz que não tem nada a esconder, reafirmando que os 830 mil euros pagos à esposa estão justificados.

  • Fillon não tem "nada a esconder"
    0:32

    Mundo

    François Fillon diz que não tem nada a esconder. O candidato do centro-direita às eleições presidenciais francesas mantém a candidatura. Isto aconteceu depois das autoridades judiciais estarem a investigar a suspeita de utilização de dinheiros públicos na contratação da mulher.

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Mais de 50 detidos pela GNR em 12 horas

    País

    A GNR fez 51 detenções entre as 20:00 de sábado e as 08:00 de hoje, 39 das quais por condução sob efeito do álcool ou sem carta, e três por violência doméstica, segundo um comunicado hoje divulgado.

  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".

  • Monumentos de 7 mil cidades às escuras por 1 hora
    2:51