sicnot

Perfil

Mundo

Mais de metade do tráfego na internet não tem origem em pessoas

© Pawel Kopczynski / Reuters

De acordo com um novo estudo, os responsáveis pela maior parte do tráfego na internet não são humanos, mas sim bots - software automatizado que serve para completar e simplificar tarefas que os humanos também consigam fazer. Melhorar resultados das pesquisas ou até publicar nas redes sociais são apenas alguns dos exemplos. Mas também há os maus.

O estudo, citado pela publicação The Next Web e feito pela empresa de segurança Imperva Incapsula, revelou que apenas 48.2% do tráfego na internet é humano.

Lazaro Gamio / Axios

Depois de analisarem mais de 100 mil domínios e 16 mil milhões de visitas, a conclusão a que chegaram foi a de que os bots ultrapassam os humanos.

A má notícia é que os bots "maus" superam os "bons". Enquanto certos bots são criados para monitorizar e melhorar a internet, os maus exemplos também existem. Como por exemplo software que permite roubar informações, espalhar spam ou entupir um site com tráfego.

De acordo com este estudo, quase 30% do tráfego da internet é proveniente de bots "maus". "A estatística mais alarmante deste estudo (...) é que nos últimos cinco anos, a cada três visitantes de um website, um era um bot 'mau'", explicou Igal Zeifman, o diretor de marketing da Imperva.

Ainda que a maioria do tráfego da internet hoje já seja composta por bots, só em 2016 mais de 15 startups criaram projetos de financiamento, um pequeno vislumbre do que pode ser a realidade futura da internet.

  • Inglaterra goleia o Panamá e apura-se para os oitavos de final do Mundial

    Mundial 2018 / Inglaterra

    A Inglaterra venceu o Panamá por 6-1 e garantiu, assim, a qualificação para os oitavos-de-final do Mundial quando ainda falta um jogo para terminar a fase de grupos. Só na primeira parte, a equipa inglesa marcou cinco golos, sendo que dois resultaram de penáltis. Destaque para Harry Kane que hoje fez um hat-trick e soma, portanto, cinco golos só neste Mundial. Referência para o Panamá que ao minuto 78 marcou o primeiro golo de sempre num Mundial. No último encontro Inglaterra e Bélgica irão discutir o primeiro lugar do Grupo G.

  • Marcelo de volta a casa após diagnóstico de gastroenterite aguda
    3:37