sicnot

Perfil

Mundo

Trump acusa imprensa de ignorar ataques terroristas na Europa

© Kevin Lamarque / Reuters

O Presidente dos Estados Unidos lançou esta segunda-feira mais uma acusação sobre os média. Donald Trump considera que os meios de comunicação social estão a ignorar deliberadamente ataques terroristas na Europa.

"Chegámos a um ponto que não estão sequer a ser noticiados. E em muitos casos a imprensa muito, muito desonesta, não quer noticiá-los. Eles têm as suas razões e vocês sabem bem quais são", afirmou Trump, numa declaração proferida no comando central militar dos EUA em Tampa, Florida.

As declarações do Presidente norte-americano surgem poucos dias depois da assessora da Casa Branca Kellyanne Conway ter também acusado a comunicação social de ignorar alguns assuntos durante a Administração de Barack Obama.

Trump afirmou que o Daesh está "envolvido numa campanha de genocídio pelo mundo", considerando que os terroristas radicais islâmicos estão decididos a atingir os EUA e que o mesmo já acontece na Europa.

Na acusação que proferiu contra os media, o Presidente dos EUA deu como exemplo um alegado atentado em Bowling Green, Kentucky, que não teria sido noticiado, mas que na realidade nunca existiu.

Questionado sobre a acusação de Trump, o porta-voz da casa Branca, Sean Pence, disse que mais tarde iria fornecer "uma lista" e garantiu que há "muitos exemplos" de meios de comunicação social que não fizeram "a cobertura adequada".

  • Incêndio de Setúbal "quase dominado"
    4:04

    País

    O incêndio que deflagrou segunda-feira em Setúbal está "quase dominado", segundo informações da presidente da Câmara. Maria das Dores Meira diz que não há feridos a registar e que os habitantes já vão regressando a casa. Para ajudar no combate ao fogo foram enviados meios de Lisboa.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.