sicnot

Perfil

Mundo

Justiça brasileira suspende nomeação de ministro indicado pelo Presidente Michel Temer

A Justiça brasileira suspendeu hoje a nomeação do ministro Moreira Franco para a pasta da Secretaria-Geral da Presidência da República do Brasil. A decisão, sob a forma de providência cautelar, é do juiz Eduardo Rocha Penteado, da 14ª Vara Federal do Distrito Federal, que atendeu um pedido feito em ação popular por três cidadãos.

Na passada sexta-feira, o Presidente do Brasil, Michel Temer, defendeu publicamente a nomeação de Moreira Franco afirmando que o ato era somente "uma formalização" porque ele já atuava como um ministro na prática.

O pedido de suspensão da nomeação de Moreira Franco baseia-se na alegação de que foi um dos políticos citados por delatores das investigações de corrupção na Petrobras e noutras empresas públicas, investigadas pela operação Lava Jato.

O juiz entendeu que a situação de Moreira Franco se a assemelha ao caso da nomeação do ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva para o ministério da Casa Civil, feita pela ex-Presidente brasileira Dilma Rousseff no começo do ano passado.

Na ocasião, o juiz do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes suspendeu a nomeação de Lula da Silva por entender que havia sido nomeado para garantir acesso a foro privilegiado (prerrogativa legal que determina que ministros e parlamentares só podem ser investigados pelo STF) e evitar um julgamento em primeira instância nas ações da Lava Jato.

No caso de Moreira Franco, a providência cautelar baseia-se no entendimento que ele não tinha mandato e foi citado na delação premiada de Cláudio Melo Filho, ex-vice-presidente de Relações Institucionais da Odebrecht, como um dos políticos brasileiros que recebeu dinheiro para defender a construtora, pelo que não deveria receber foro especial.

"É dos autos que Moreira Franco foi mencionado, com conteúdo comprometedor, na delação da Odebrecht no âmbito da Operação Lava Jato.

É dos autos, também, que a sua nomeação como Ministro de Estado ocorreu apenas três dias após a homologação das delações, o que implicará na mudança de foro", argumentou o juiz.A Advocacia-Geral da União (AGU), que defende os interesses do Palácio do Planalto, vai recorrer da decisão do juiz do Distrito Federal.

Lusa


  • Rúben Lima nega crimes de corrupção no processo Cashball
    6:04

    Desporto

    Rúben Lima, um dos 8 jogadores suspeitos de terem sido aliciados por intermediários ao serviço do Sporting para beneficiar o clube de Alvalade, nega todos os crimes investigados pela Polícia Judiciária. Numa entrevista exclusiva à SIC, o jogador do Moreirense garante que não conhece nenhum dos quatro arguidos detidos no âmbito do processo Cashball.

    Exclusivo SIC

  • Partido Podemos com votação inédita em Espanha
    1:32

    Mundo

    Há uma votação inédita em Espanha. O Podemos começou esta terça-feira a decidir a continuidade do líder do partido, depois de Pablo Iglesias e a companheira terem comprado uma casa de 600 mil euros.

  • Rui Rio alerta que violações do segredo de justiça ameaçam democracia
    2:16

    País

    Rui Rio diz que não pede demissões "a cada esquina" e prefere aguardar pelas respostas do ministro Adjunto Siza Vieira, sobre o alegado conflito de interesses com os acionistas chineses da EDP. O líder do PSD esteve esta terça-feira reunido com a direção nacional da Polícia Judiciária, onde defendeu que a violação do segredo de justiça é insustentável e ameaça o regime democrático.

  • Reclusos limpam Ria Formosa
    3:01

    País

    Alguns reclusos do estabelecimento prisional de Olhão estão pela segunda vez a limpar a ilha da Armona, na Ria Formosa. São homens que beneficiam de regime aberto e, em fim de cumprimento de pena, têm com este trabalho uma amostra da liberdade que tanto aguardam.

  • A maior obra de reconversão urbana em Portugal 20 anos depois
    3:47