sicnot

Perfil

Mundo

Turquia anuncia projeto-piloto em que vai pagar salário a avós que cuidem dos netos

© Shamil Zhumatov / Reuters

A Turquia vai lançar esta primavera um projeto-piloto que passa pelo pagamento de um salário a avós com menos de 65 anos que cuidem dos seus netos, anunciou esta quarta-feira o ministro do Trabalho turco, Mehmet Müezzinoglu.

O projeto será preparado durante este mês e começará a funcionar em março, inicialmente com cinco mil famílias das províncias de Istambul e Bursa, às que se juntarão a seguir mais mil famílias de outras sete províncias, explicou o ministro, em declarações recolhidas pelo diário turco Hürriyet.

As avós não poderão ter mais de 65 anos e cuidarão de bebés de entre seis meses e um ano de idade, pelo que receberão um salário mensal de 425 liras turcas, cerca de 100 euros, o equivalente a 30% de um salário mínimo nacional na Turquia.

"Não interessa se a avó já recebe uma pensão de reforma ou não. A condição económica da avó não está em causa, o importante é que não tenha problemas de saúde", disse Müezzinoglu.

O governante acrescentou, no entanto, que o projeto visa beneficiar especialmente as famílias de baixos rendimentos, pelo que serão apenas escolhidas famílias em que o salário da mãe não ultrapasse dois salários mínimos e o rendimento do agregado familiar não chegue aos três salários mínimos.

"Se o projeto-piloto correr bem, poderemos também reconsiderar o limite dos 65 anos de idade", acrescentou o ministro. O programa deverá estender-se por um ano.

"Com este projeto queremos ajudar as mulheres e aumentar o emprego feminino. Queremos que elas possam proteger a família e as crianças sem abandonar a vida laboral", afirmou, pelo seu lado, a ministra para a Família e Assuntos Sociais, Fatma Betül Sayan Kaya, em declarações durante o evento de apresentação do projeto.

Lusa

  • Veio para Portugal para estar mais perto da natureza mas o fogo levou-lhe tudo
    4:59
  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão