sicnot

Perfil

Mundo

Trump reafirma confiança em assessora que promoveu produtos de Ivanka

© Carlos Barria / Reuters

A Casa Branca disse esta quinta-feira que Donald Trump continua "absolutamente" a apoiar a sua conselheira Kellyanne Conway, depois de esta ter promovido os produtos da linha de moda da sua filha, Ivanka Trump, durante uma entrevista televisiva.

"Vão comprar os produtos da Ivanka. Detesto fazer compras, mas hoje vou fazê-las", afirmou Kellyanne Conway, a partir da Casa Branca, com o selo desta em fundo, na cadeia televisiva Fox.

Em resposta a questões da AP, fonte da Casa Branca disse que o Presidente não tinha visto a entrevista de Conway à Fox News. Mas uma porta-voz afirmou que Trump "compreendia que ela estava apenas a apoiar uma mulher maravilhosa por quem ela tem grande respeito e sentiu que foi tratada injustamente".

A mesma fonte acrescentou que Trump também "apoia totalmente a sua filha".

A conselheira do Presidente respondeu assim ao anúncio, feito na semana passada, da cadeia de armazéns Nordstrom que ia deixar de vender a linha de vestuário e acessórios de Ivanka Trump.

Esta decisão tinha provocado na terça-feira a cólera do Presidente norte-americano, que se precipitou sobre a rede social Twitter para denunciar o tratamento dado à sua filha.

O porta-voz da Casa Branca, que defendeu na quarta-feira o direito de Trump "defender a sua família", desta vez distanciou-se das declarações de Conway.

"Kellyanne foi chamada à ordem sobre este assunto, ponto final", foi a reação seca de Sean Spicer, durante o encontro diário com os jornalistas.

Esta conselheira, omnipresente na comunicação social, tem estado no centro de várias polémicas, como a que se seguiu à sua invenção, com todos os pormenores, de um "massacre" cometido por alegados terroristas islâmicos numa cidade dos EUA.

Em todo o caso, esta nova polémica dá mais argumentos aos que acusam o clã Trump e os seus próximos de utilizar a Casa Branca para defender os seus próprios interesses.

O próprio Donald Trump alimentou estas suspeitas ao conservar a sua parte no império familiar que fez a sua fortuna, com ramificações em numerosos países estrangeiros aliados dos EUA.

Lusa

  • Manuel Delgado demitiu-se devido a "grave violação da privacidade"

    País

    O ex-secretário de Estado da Saúde diz que apresentou a demissão para "não perturbar nem criar qualquer tipo de embaraço ao normal funcionamento do Governo". Num comunicado, Manuel Delgado esclarece que foi remunerado pelo trabalho de consultor na Raríssimas "muito antes" da entrada no Governo e acrescenta que respeitou na íntegra todo o quadro legal e ético.

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28