sicnot

Perfil

Mundo

Marine le Pen obriga estrangeiros com dupla nacionalidade a escolher apenas uma

A candidata presidencial da extrema direita francesa, Marine le Pen, defendeu hoje que os estrangeiros de fora da Europa e da Rússia que têm dupla nacionalidade vão ter de escolher apenas um país de origem.

Marine le Pen explicou que isto não significa que os estrangeiros vão ter de sair do país e disse que podem ficar "desde que respeitam as leis e os valores franceses".

Quanto à Rússia, a candidata argumentou, citada pela AFP, que o país faz parte "da Europa das nações" e pormenorizou, em resposta a um jornalista, que Israel também é abrangido pela medida, uma vez que não é um país europeu.

Nas sondagens que têm sido feitas, a candidata aparece bem posicionada para estar entre os dois políticos que avançam para a segunda fase das eleições presidenciais francesas, que decorrem em abril e maio.

Lusa


  • As confissões de Sérgio Conceição: do futuro no FC Porto à zanga com Rui Vitória 
    43:14
  • Parceiros sociais retomam hoje discussão sobre legislação laboral

    Economia

    Os parceiros sociais retomam esta tarde a discussão sobre as alterações à legislação laboral nas áreas do combate à precariedade, promoção da negociação coletiva e reforço da inspeção do trabalho. No encontro, marcado para as 15:00 no Conselho Económico e Social (CES), em Lisboa, o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, deverá apresentar um novo documento com alterações face ao que foi proposto aos parceiros sociais há dois meses.

  • Sabia que pode emprestar dinheiro a empresas e ganhar 7% em juros por ano?
    8:05
  • A experiência de um embaixador português na Coreia do Norte
    2:58

    País

    A Coreia do Norte tem o maior orçamento militar do mundo e o seu arsenal nuclear acaba por dar-lhe acesso a uma possível cimeira com os Estados Unidos. A pobreza e o culto da personalidade foram testemunhados pelo embaixador, José Manuel de Jesus, que visitou várias vezes Pyongyang.

  • EUA expulsa dois diplomatas venezuelanos e dá-lhes 48 horas para deixarem o país

    Mundo

    Os Estados Unidos anunciaram, na quarta-feira, a expulsão de dois diplomatas venezuelanos, aos quais deu um prazo de 48 horas para sairem do país. A decisão é a resposta ao anúncio de Presidente da Venezuela de expulsar o encarregado de negócios e o chefe da secção política da embaixada dos Estados Unidos em Caracas, Todd Robinson e Brian Naranjo, respetivamente.