sicnot

Perfil

Mundo

Temer diz que paralisação de militares é ilegal e inaceitável

Temer diz que paralisação de militares é ilegal e inaceitável

O Presidente do Brasil falou esta sexta-feira, pela primeira vez, sobre a violência no estado brasileiro do Espírito Santo, que até ao momento causou a morte de 126 pessoas. Michel Temer diz que a paralisação dos militares é ilegal e inaceitável. Para fazer face ao clima de insegurança, o Governo estadual já anunciou o envio de mais 500 homens para patrulhar o estado.

  • Ocorrências diminuíram mas a população do estado do Espírito Santo continua com medo
    4:52

    Mundo

    A correspondente da SIC no Brasil diz que, apesar da diminuição do número de episódios de violência no estado do Espírito Santo, a população continua com medo da situação que se vive devido à greve da polícia militar. Ivani Flora explica que, com a paralisação, o número de responsáveis pelo patrulhamento passou de 10 para dois mil homens. Até ao próximo sábado está prevista a chegada de mais mil elementos das forças armadas com experência em sistuações de conflito.

  • Militares em greve tentam chegar a acordo com Governo brasileiro
    1:55

    Mundo

    O Governo do estado do Espírito Santo, no Brasil, tem estado esta quinta-feira reunido com os familiares dos militares em greve. Em declarações à SIC Notícias, o vice-presidente da Associação de Cabos Soldados da Polícia Militar do Espírito Santo, Noé da Matta Ribeiro, considera que não vai ser fácil chegar a uma solução e lamenta que o Governo não invista nos militares. Por outro lado, o Governo diz que não é possível aumentar salários e fala em chantagem.

  • Caos no estado brasileiro de Espírito Santo
    3:09

    Mundo

    O número de mortos devido à onda de violência no estado brasileiro do Espírito Santo subiu para 95. Esta quarta-feira o Governo do Brasil enviou mais 550 elementos das Forças Armadas para ajudar a controlar o caos.

  • Onda de violência no Brasil começa a diminuir
    0:51

    Mundo

    A onda de violência no estado brasileiro do Espírito Santo começou a diminuir esta terça-feira mas ainda existem vários serviços fechados. O estado está parado há três dias devido a protestos motivados pela greve da polícia militar.

  • Cidadãos brasileiros protestam contra a greve da polícia
    3:19

    Mundo

    A situação no Brasil continua tensa devido à greve das forças policiais. Apesar de ainda não serem conhecidos dados relativos aos casos de violência, os cidadãos estão inseguros com a situação e protestam agora contra os próprios protestos da polícia, segundo explica a correspondente da SIC. De acordo com a jornalista Ivani Flora, há relatos de vários assaltos e lojas fechadas por precaução.

  • Passos explica porque se irritou com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.