sicnot

Perfil

Mundo

Nova ronda de negociações de paz prevista para a próxima semana em Astana

O Governo sírio e grupos rebeldes armados foram de novo convocados para negociações de paz nos dias 15 e 16 de fevereiro em Astana, anunciou este sábado o Ministério dos Negócios Estrangeiros do Cazaquistão.

"Foi decidido manter as próximas negociações de alto nível para resolver a situação na Síria nos dias 15 e 16 de fevereiro", anunciou em comunicado o ministério.

O Governo sírio, representantes da oposição armada e o enviado especial da ONU (Organização das Nações Unidas), Staffan de Mistura, devem participar nas conversações, patrocinadas pela Rússia, Turquia e Irão.Segundo o ministério, esta ronda de negociações vai contar ainda com a participação de uma delegação jordana e de delegados norte-americanos, que estarão presentes como observadores.

O respeito pelo cessar-fogo e medidas de estabilização da situação em determinadas regiões sírias vão estar na agenda das negociações.

Estas negociações na capital do Cazaquistão seguem-se a uma primeira ronda de conversações que decorreu no mês passado e que terminou sem avanços significativos quanto à resolução de um conflito que já fez mais de 310 mil mortos desde que começou, em 2011.

Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.