sicnot

Perfil

Mundo

Presidente do Brasil condena greve da polícia por desencadear caos e violência

FERNANDO FRAZAO / AGENCIA BRASIL / HANDOUT

O Presidente do Brasil, Michel Temer, condenou a a greve, iniciada há uma semana, pela Polícia Militar que provocou uma onda de caos e violência que resultou em 121 mortos

.Michel Temer condenou a ação dos polícias militares no estado de Espírito Santo devido à crise que representou para a segurança pública, considerando a paralisação "ilegal" e "inaceitável", naquele que foi o seu primeiro comentário oficial sobre o incidente.

O governo do estado brasileiro de Espírito Santo e os representantes da Polícia Militar alcançaram, na sexta-feira, um acordo que estabelece que a greve termina às 07:00 de hoje (09:00 de Lisboa), hora em que "regressam à atividade", segundo anunciou o secretário dos Direitos Humanos de Espírito Santo,

Júlio César Pompeu, em conferência de imprensa."O Presidente Michel Temer acompanha, desde os primeiros momentos, todos os factos relacionados com a segurança pública no Espírito Santo.

Condena a paralisação ilegal da polícia militar que atemoriza o povo capixaba. Ao saber da situação, determinou o imediato envio de dois mil homens para reestabelecer a lei e a ordem no Estado", refere a nota da Presidência da República.

Michel Temer afirma ainda que o direito à reivindicação "não pode tornar o povo brasileiro refém", sustentando que "o estado de direito não permite esse tipo de comportamento inaceitável".

Os polícias reivindicam aumentos salariais e melhoria nas condições de trabalho e como a lei os impede de organizar greves foram os seus familiares e amigos que, defronte de quarteis e esquadras, os impediram de sair para patrulhar as ruas.

Segundo a ata da reunião entre as partes, divulgada pelo portal G1, o acordo é extensível a "todas as unidades em todo o Estado de Espírito Santo".

No documento, o governo compromete-se a criar uma comissão para estudar a "carga horária de trabalho dos polícias e bombeiros militares", com um prazo máximo de 60 dias para apresentar resultados.

A greve dos polícias do estado de Espírito Santo, sudeste do Brasil, começou no último sábado e, desde então, uma onda de saques a lojas, supermercados, assaltos e tiroteios foram registados em larga escala em diversas cidades, inclusive na capital Vitória, onde os serviços de transporte, bancos, postos de saúde e escolas permanecem fechadosSegundo informações do Sindicato dos Polícias Civis do Espírito Santo (Sindipol), 121 pessoas foram mortas durante a paralisação.

  • Governo do Espírito Santo e polícias chegam a acordo

    Mundo

    O governo do Espírito Santo, no Brasil, chegou a acordo com os representantes dos polícias militares. Se voltarem ao trabalho este sábado, às 7h00, não haverá punições disciplinares. O governo não se comprometeu, no entanto, com reajustes, mas vai analisar a questão das promoções.

  • Temer diz que paralisação de militares é ilegal e inaceitável
    1:47

    Mundo

    O Presidente do Brasil falou esta sexta-feira, pela primeira vez, sobre a violência no estado brasileiro do Espírito Santo, que até ao momento causou a morte de 126 pessoas. Michel Temer diz que a paralisação dos militares é ilegal e inaceitável. Para fazer face ao clima de insegurança, o Governo estadual já anunciou o envio de mais 500 homens para patrulhar o estado.

  • Tiroteio no Mississipi provoca oito mortos
    1:23

    Mundo

    Oito pessoas morreram, incluindo um polícia, depois de um tiroteio no estado norte-americano do Mississipi, nos Estados Unidos da América. O suspeito, um homem de 36 anos, já foi detido, mas as autoridades dizem que ainda é cedo para saber os motivos.

  • Milhares de brasileiros protestam na Praia de Copacabana contra Temer
    3:04
  • "Precisamos de uma melhor zona Euro"
    0:30