sicnot

Perfil

Mundo

Fobia de aranhas? Veja imagens sem "ter consciência"

Reuters

Mostrar imagens de aranhas a quem tem pavor delas, por um breve segundo, misturadas com fotos de flores, paisagens, pessoas, pode ser a solução para tratar esta fobia. Segundo um novo estudo, a exposição inconsciente às imagens fóbicas é mais eficaz do que a exposição consciente, por muito tempo.

Os resultados são publicados na revista Human Brain Mapping.

Bradley S. Peterson, director do Instituto para a Mente do Hospital Pediátrico de Los Angeles, e Paul Siegel, professor adjunto de Psicologia na da Universidade Estadual de Nova Iorque, conduziram o estudo. A mais de 20 mulheres com fobia de aranhas foram mostradas imagens destes artrópodes por uma fração de segundo, misturadas com imagens de flores. Posteriormente, às mesmas mulheres foram mostradas as imagens de aranhas, mas por muito mais tempo.

Ao mesmo tempo, a atividade cerebral ia sendo monitorizada e comparada com a de mulheres sem fobias.

No grupo das fobias, ver as imagens de aranhas muito brevemente resultou numa atividade relevante nas áreas do cérebro que regulam as respostas emocionais e comportamentais ao medo, e numa visível redução do mesmo - um resultado que os investigadores consideraram inesperado.

Por outro lado, quando as mulheres com fobia de aranhas foram expostas a imagens das mesmas por muito mais tempo, de uma forma consciente, o seu cérebro foi incapaz de controlar a resposta ao medo, fazendo-as sentir toda a ansiedade da sua fobia.

"O nosso estudo mostra que o cérebro processa melhor os estímulos do medo quando estes estão presentes sem um conhecimento consciente. A descoberta sugere que as pessoas com fobia poderão ficar mais bem preparadas para enfrentar os seus medos se não tiverem consciência de que os estão a enfrentar", explica Paul Siegel.

A técnica, acreditam os investigadores, poderá ser uma ferramenta útil no tratamento de certas fobias.

Os tratamentos atuais de fobias normalmente persuadem os pacientes a enfrentar os seus medos, o que para estes investigadores pode causar um grave stress emocional.

  • Governo vai avaliar situação da associação Raríssimas
    1:41

    País

    O Governo promete avaliar a situação da instituição Raríssimas e agir em conformidade, depois da denúncia de alegadas irregularidades na gestão financeira. A presidente da instituição terá usado dinheiro da Raríssimas para gastos pessoais como vestidos de alta-costura e alimentação. Esta é uma instituição que apoia doentes e famílias que convivem de perto com doenças raras. 

  • Diáconos permanentes: quem são e que cargo ocupam na comunidade católica
    10:04
  • Múmia quase intacta descoberta em Luxor
    1:23

    Mundo

    O Egito anunciou, este sábado, a descoberta de dois pequenos túmulos com 3.500 anos na cidade de Luxor. Foram também encontrados uma múmia em bom estado de conservação, uma estátua do deus Ámon Ra e centenas de artefactos de madeira e cerâmica ou pinturas intactas.