sicnot

Perfil

Mundo

Polícia francesa investiga morte de emigrante portuguesa

A polícia francesa abriu uma investigação para determinar as causas da morte de uma emigrante portuguesa encontrada sem vida na sua casa, na sexta-feira, na localidade de Sémeries, perto da fronteira com a Bélgica.

"Há uma investigação para determinar as causas da sua morte como é normal nestes casos", indicou à Lusa fonte da esquadra de polícia de Avesnelles, na região de Hauts-de-France, no norte de França.

A polícia francesa confirmou à Lusa que se trata de Ana Licata, uma portuguesa de 52 anos nascida em Lisboa, que "vivia muito à margem da sociedade" e que "pediu para lhe cortarem a água e a eletricidade na sua casa", que "saía muito pouco" e que "era uma pessoa com pouco contacto com o exterior".

"Ela saía muito pouco mas quando o fazia era de uma forma muito regular. Foram pessoas da localidade que ficaram preocupadas por não a verem na "friterie" [loja de frituras] , ligaram aos bombeiros para ir a sua casa e encontraram-na morta. Foi encontrada na sexta-feira, mas não lhe posso dizer quando é que morreu", afirmou a mesma fonte à Lusa.

Ana Licata era casada mas vivia separada, de acordo com a polícia. Segundo o jornal La Voix du Nord, a portuguesa morava sozinha e residia na pequena localidade de Sémeries há cerca de 20 anos.


Lusa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite