sicnot

Perfil

Mundo

Empresa belga implanta microchips nos funcionários

© Nigel Treblin / Reuters

Uma empresa belga está a implantar microchips nos seus funcionários. Estes chips contêm informação pessoal e dão acesso aos sistemas tecnológicos da empresa e dos escritórios, substituindo assim os cartões de identificação.

Estes engenhos levantam uma série de questões sobre a segurança pessoal de cada pessoa, incluindo se os chips monotorizam os movimentos daqueles que aceitaram a proposta da empresa.

NewFusion é uma empresa de Marketing na Bélgica e está a oferecer os chips aos seus funcionários. Os chips de identificação por radiofrequência (RFID) são do tamanho de um grão de arroz e armazenam informação pessoa, que pode ser transmitida através de pequenas distâncias para recetores específicos.

Os chips já podem ser encontrados em cartões sem contactos, como os bancários e os de viagem, existentes em alguns países.

Os engenhos usados pela empresa belga custam cerca de 100 euros cada, são inseridos entre o polegar e o dedo indicador e são também parecidos àqueles implantes nos animais.

© Nigel Treblin / Reuters

Cada vez mais pessoas e empresas optam por esta prática, conhecida como biohacking. É possível comprar kits de implante na internet, que incluem um injetor esterilizado já com o chip e um curativo para a ferida.

Segundo o Daily Mail, cerca de 10 mil pessoas de todo o mundo já usam esta tecnologia.

A NewFusion não é a primeira empresa a oferecer os RFID aos funcionários.

Em 2015, uma empresa sueca implantou chips nos seus trabalhadores, de modo a usarem as fotocopiadoras, entrarem na empresa e até pagar pelas suas refeições.

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59