sicnot

Perfil

Mundo

Sobreviventes de cancro da mama desfilam na Semana da Moda em Nova Iorque

© Andrew Kelly / Reuters

Várias sobreviventes de cancro da mama desfilaram na Semana da Moda em Nova Iorque no domingo. Um evento de moda "alternativo" ao programa habitual, e que ajudou a angariar fundos para a causa.

Imaginado pela designer Dana Donofree, também ela uma sobrevivente, o "AnaOno Intimates" deu oportunidade às mulheres que sofreram ou ainda batalham contra o cancro da mamã de desfilar em roupa interior.

Mulheres de todos os tamanhos e com diferentes histórias de vida desfilaram pela passadeira da Semana da Moda, naquele que foi o primeiro desfile de sempre de mulheres com cancro da mama.

"Senti-me sexy, bonita e orgulhosa", explicou Paige Moore. A mulher de 24 anos submeteu-se a uma dupla mastectomia um mês antes do evento. "As minhas cicatrizes são sexy e fantásticas, e eu estou aqui, estou viva e sinto-me bem. É a única coisa que interessa", disse.

© Andrew Kelly / Reuters

Os investigadores dos EUA e do Reino Unido afirmam que uma em cada oito mulheres norte-americanas serão diagnosticadas com cancro da mama durante a sua vida. Uma previsão que assusta muitas mulheres e uma das razões pela qual Dana Donofree decidiu criar o evento. Para "desmistificar" a doença e as suas consequências, e devolver a autoestima a estas mulheres.

A designer, que também foi operada ao peito pelas mesmas razões, começou a desenhar roupa interior para as mulheres que se tinham submetido a mastectomias e cuja lingerie tradicional já não servia.

Os fundos angariados com o desfile vão ser doados à "Cancerland", uma instituição de apoio às mulheres que sofrem de cancro da mama.

© Andrew Kelly / Reuters

  • O melhor golo do 5.º dia de Mundial

    Desporto

    Numa escolha feita pelos jornalistas de desporto e do site da SIC Notícias, mostramos-lhe o melhor golo deste quinto dia de Mundial. Foi apontado por Dries Mertens, na vitória da Bélgica sobre o Panamá por 3-0.

  • Rui Patrício confirmado no Wolverhampton

    Desporto

    O Wolverhampton anunciou esta segunda-feira a contratação do guarda-redes Rui Patrício, depois da rescisão com o Sporting. O guarda-redes da seleção nacional assinou contrato com o clube inglês por quatro épocas.

    SIC

  • Novo treinador do Sporting diz que mulheres não estão preparadas para falar de futebol
    1:23
  • Salto de Cristiano Ronaldo inspira dança afro-beat

    Desporto

    Uma música humorística afro-beat, publicada nas redes sociais e inspirada nos saltos de Cristiano Ronaldo quando marca golos, está a ser replicada na internet com dezenas de coreografias filmadas, muitas das quais em França.

  • Ronaldo no País dos Sovietes: As religiões praticadas na Rússia
    1:55
  • "Estamos a plantar fósforos"
    2:09

    Opinião

    O calor regressou esta segunda-feira em força e no terreno estiveram quase 1300 bombeiros a combater 70 fogos por todo o país. Depois da tragédia de Pedrógão Grande, o Presidente da República diz que a consciência do país mudou mas é preciso fazer mais. Já Miguel Sousa Tavares diz que o país está mais preparado para combater os incêndios do que alguma vez esteve. No entanto, o comentador da SIC diz que já foram plantados mais de "2500 hectares de eucaliptos" desde Pedrógão e que enquanto isso acontecer Portugal vai continuar a arder. 

    Miguel Sousa Tavares

  • Merkel tem duas semanas para negociar solução para crise migratória

    Mundo

    A chanceler alemã tem duas semanas para negociar com os parceiros europeus uma solução para a questão migratória e assim evitar uma crise política. O ultimato foi dado pelo CSU, o partido da Baviera que integra a coligação governamental. Ao contrário de Angela Merkel, defende uma política para os refugiados mais estrita.

  • Pai de Meghan Markle lamenta ser "nota de rodapé" no casamento real
    2:03
  • Quando as crianças fazem das suas... os pais é que pagam

    Mundo

    Quando as crianças fazem das suas, restam os pais para as castigar ou, em alguns casos, para sofrer as consequências desses atos. Quem o pode dizer é um casal norte-americano, que recebeu uma fatura de 132 mil dólares (cerca de 114 mil euros), depois de o filho ter derrubado uma estátua num centro comunitário.

    SIC