sicnot

Perfil

Mundo

Governo francês não vai tolerar interferências externas nas presidenciais

© Charles Platiau / Reuters

O Governo francês avisou esta quarta-feira que não iria tolerar qualquer interferência externa nas próximas eleições presidenciais, dirigindo-se expressamente aos dirigentes da Federação Russa, depois de os serviços secretos dos Estados Unidos terem acusado Moscovo de favorecer Donald Trump.

"Não vamos aceitar qualquer interferência, seja qual seja, no nosso processo eleitoral, tanto da Rússia como de qualquer outro Estado", declarou o ministro dos Negócios Estrangeiros francês, Jean-Marc Ayrault.

"Depois do que aconteceu nos EUA, é nossa responsabilidade dar todos os passos necessários para garantir que a integridade do nosso processo democrático é totalmente respeitada", afirmou no parlamento.

O aviso ocorreu depois de assessores de um dos principais candidatos franceses terem acusado, esta semana, a Rússia de atacar a sua candidatura.

Um porta-voz do candidato pró-europeu Emmanuel Macron acusou hoje Moscovo de estar por trás de uma série de ataques cibernéticos ao sítio na internet e aos servidores da campanha de Macron no último mês.

"Metade destes ataques, e houve centenas por dia, vieram da Ucrânia, que é conhecida pelas suas ligações aos piratas informáticos e às pessoas que dirigem estes ataques na Rússia", afirmou Benjamin Griveaux, acusando o Kremlin de procurar favorecer o candidato conservador Francois Fillon e a candidata da extrema-direita, Marine Le Pen.

Fillon e Le Pen defendem laços mais próximos com a Rússia.

Lusa

  • Outros casos de fuga de prisões portuguesas
    2:58

    País

    Nos últimos cinco anos, 52 reclusos fugiram de cadeias portuguesas, mas foram todos recapturados. Entre 1999 e 2009, fugiram oito reclusos da prisão de Caxias. Em 2005, um homem condenado a 21 anos de prisão fugiu de Coimbra, viajando por França e pela Polónia. Manuel Simões acabou por ser detido no regresso a Portugal.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.