sicnot

Perfil

Mundo

Tributar açúcar e gordura pode fazer aumentar esperança de vida em oito dias

© Cathal McNaughton / Reuters

Um novo estudo afirma que mais impostos sobre alimentos ricos em açúcar, sal e gorduras saturadas ajudaria a reduzir o problema da obesidade na Austrália e economizar milhões de dólares.

Os investigadores da Universidade de Melbourne reavivaram o debate sobre o chamado "imposto de gordura".

A medida economizaria mais de 3 mil milhões de dólares (2,7 mil milhões de euros) em custos com assistência médica e aumentaria a esperança de vida dos australianos em cerca de oito dias.

"Pode não parecer muito, mas na verdade a maioria das intervenções de saúde não se aproxima desse tipo de ganho", disse o professor e co-autor do estudo Tony Blakely à SBS News.

Blakely afirmou que a medida não é uma "bala de prata" para combater a obesidade na Austrália, mas ajudaria a iniciar um processo de alimentação saudável.

O estudo mostra ainda que o imposto funcionaria melhor se acompanhado de subsídios para frutas e vegetais para diminuir a carga financeira nas famílias mais pobres.

O consumo, a longo prazo, de alimentos ou bebidas que ricos em gorduras saturadas, açúcar e sal tem uma ligação comprovada com complicações de saúde.

Os países escandinavos lideram desde há muito a cobrança de impostos sobre alimentos e bebidas não saudáveis. A Finlândia tem um imposto sobre doces, chocolate e gelado desde 2011. Muitos outros países como a Hungria, França, México e o Reino Unido seguiram o exemplo taxando refrigerantes, e a Índia nos hambúrgueres, pizzas e outras comidas menos saudáveis.

No entanto, a Dinamarca lançou um imposto sobre os alimentos ricos em gorduras saturadas, como manteiga e óleo, mais tarde vindo a aboli-lo, porque abaou a encorajar muitas pessoas a fazer compras fora do país.

  • "Putin é uma ameaça maior do que o Daesh"
    0:24

    Mundo

    O senador norte-americano John Mccain atacou Vladimir Putin dizendo que é uma ameaça maior do que o Daesh. O antigo candidato à Casa Branca acusa a Rússia de querer destruir a democracia ao tentar manipular o resultado das presidenciais dos Estados Unidos.

  • "Não podemos fazer de Lisboa uma cidade para turistas"
    2:44

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite da SIC, o mandato de Fernando Medina na Câmara de Lisboa. O comentador da SIC defendeu que o autarca tem "muitos problemas por resolver" e que a Câmara tem investido "mais na recuperação de zonas em que os lisboetas praticamente não conseguem ir". Sousa Tavares disse ainda que Lisboa não pode ser uma cidade para turistas.

    Miguel Sousa Tavares

  • "É muito importante ceder à tentação de se abolir a liberdade"
    1:06
  • Menos casos de sida em Portugal
    1:44