sicnot

Perfil

Mundo

Jovem alegadamente violado pela polícia recebeu alta

DR

Théo, o jovem alegadamente violado por um agente policial e que se tornou um "símbolo" contra a violência policial em França, deixou esta quinta-feira o hospital nas periferia de Paris, onde esteve internado nas duas últimas semanas.

O jovem, de 22 anos, noticia a agência Efe, terá, presumivelmente, sido sodomizado por um agente com um bastão extensível.

Segundo a agência noticiosa espanhola, que cita o grupo de apoio a Théo, criado nas redes sociais, o jovem enviou uma mensagem de agradecimento a todos os que se mostraram preocupados com o seu estado de saúde.

O jovem, que se encontra a descansar em casa com uma baixa médica de pelo menos 60 dias, foi detido depois de ter sofrido uma violenta violação na sequência de uma operação policial no passado dia 2 em Aulnay-sous-Bois, nos arredores a nordeste Paris.

Théo, que trabalha a tempo parcial como animador social e tentava uma carreira como futebolista, tornou-se num símbolo contra a violência e a impunidade policiais denunciadas pelos habitantes dos subúrbios de Paris.

Apesar dos apelos à calma feitos por Théo, várias manifestações apoiando-o, terminaram em confrontos com a Polícia, com centenas de veículos danificados e vários caixotes do lixo queimados.

1 / 9

© Christian Hartmann / Reuters

2 / 9

© Christian Hartmann / Reuters

3 / 9

© Christian Hartmann / Reuters

4 / 9

© Christian Hartmann / Reuters

5 / 9

© Christian Hartmann / Reuters

6 / 9

© Christian Hartmann / Reuters

7 / 9

© Christian Hartmann / Reuters

8 / 9

© Christian Hartmann / Reuters

9 / 9

© Christian Hartmann / Reuters

Centenas de jovens foram presos nas últimas semanas em várias partes de França no decorrer de ações de protesto, denunciando também, o caso de Adama Traoré, um jovem negro que morreu em julho do ano passado, quando tentava escapar de um controlo policial.

O caso de Théo tornou-se num assunto de Estado, tendo o Presidente François Hollande visitado o jovem no hospital Robert-Ballanger em Aulnay-sous-Bois, na semana passada.

Na ocasião o chefe de Estado francês afirmou que é preciso dar tempo para que a justiça faça o seu trabalho e lembrou que os agentes policiais têm de respeitar os regulamentos e reprovou os danos materiais causados pelos tumultos.

Os quatro agentes policiais envolvidos são acusados de usar violência e um deles também por estupro.

O relatório policial reconheceu a prisão violenta, mas afirma que a violação com um bastão, que levou à hospitalização de Théo foi "acidental" e não voluntária, no âmbito de uma detenção "violenta e forçada".

Lusa

  • Admissão de efetivos nas Forças Armadas aquém do pedido pelas chefias
    1:42

    País

    O Ministério das Finanças autorizou a admissão de mais efetivos nas forças armadas, este ano mas a integração fica muito abaixo do número pedido pelas chefias militares. Mário Centeno só terá autorizado a integração de cerca de três mil militares em vez das cinco mil vagas propostas pelas chefias do Exército, Força Aérea e Marinha.

  • Primeiro eclipse solar 100% visível nos EUA em 38 anos
    0:40
  • Pyongyang acusa Washington de atirar "achas para a fogueira"
    1:47

    Mundo

    A Coreia do Sul e os Estados Unidos iniciaram esta segunda-feira exercícios militares conjuntos. As manobras militares procuram ensaiar respostas a uma hipotética invasão da Coreia do Norte. Pyongyang já reagiu e diz que Washington está a atirar "achas para a fogueira". 

  • "É muito importante que os EUA mostrem determinação política e militar"
    0:50

    Mundo

    Os exércitos da Coreia do Sul e dos Estados Unidos iniciaram hoje as manobras anuais numa altura marcada pela recente escalada de tensão entre Pyongyang e Washington. Para Miguel Monjardino, comentador da SIC, estes exercícios militares são encarados como uma provocação para a Coreia do Norte. Monjardino defende que é importante que os EUA mostrem determinação no atual clima de tensão nuclear.

  • China prepara-se para inaugurar comboio mais rápido do mundo
    1:08
  • Morreu o rei da comédia
    2:08

    Cultura

    Um dos grandes nomes do humor norte-americano morreu ontem, aos 91 anos. Jerry Lewis era comediante, ator, argumentista, cantor e realizador. Considerado o rei da comédia, Lewis influenciou diferentes gerações de comediantes e foi defensor de várias causas humanitárias, entre as quais a distrofia muscular.

  • A insólita entrevista de Jerry Lewis que se tornou viral
    2:39

    Cultura

    Jerry Lewis concedeu no início deste ano uma entrevista insólita que se tornou viral nas redes sociais. O comediante decidiu, pura e simplesmente, não colaborar com o entrevistado. Lewis tinha na altura 90 anos e continuava a trabalhar, tendo participado no filme "Max Rose", em 2016.