sicnot

Perfil

Mundo

Jihadistas matam jihadistas na Síria

© Alaa Faqir / Reuters

Um grupo jihadista matou 41 combatentes do Fateh al-Cham (ex-ramo sírio da Al-Qaida) e de fações suas aliadas durante combates na província de Idleb, na Síria, indicou esta sexta-feira o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

Segundo o OSDH, o grupo extremista Jund al-Aqsa executou na segunda-feira a tiro 41 dos seus adversários na localidade da Khan Cheikhoun, mas a sua morte só foi confirmada hoje.

Uma guerra de influência opõe há cinco dias os radicais do Jund al-Aqsa ao Fateh al-Cham e seus aliados na província de Idleb (noroeste), controlada por rebeldes e jihadistas.

Os combates causaram desde segunda-feira a morte de 125 pessoas, incluindo os 41 executados, e ilustram a batalha feroz entre os grupos pelo domínio numa província que escapa ao controlo do regime de Bashar al-Assad.

A guerra na Síria envolve atores sírios, regionais e internacionais, assim como grupos 'jihadistas', e já causou mais de 310.000 mortos, tendo obrigado mais de 10 milhões a abandonarem as suas casas desde 2011.

Lusa

  • Passos nega que resultado das autárquicas ponham em causa liderança do PSD
    7:46
  • PS e PSD trocam acusações sobre Tancos
    1:18
  • Homens vítimas de violência doméstica
    31:17
  • Marcelo mergulha na baía de Luanda
    0:45
  • Marcelo garante que relações com Angola "estão vivas"
    1:50

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou esta segunda-feira as boas relações entre Portugal e Angola. À chegada a Luanda para a posse do novo Presidente angolano João Lourenço, o chefe de Estado português aproveitou para tomar um banho de mar.

  • Défice chegou aos 2.034 milhões em agosto
    1:51

    Economia

    O défice do Estado caiu 1.900 milhões de euros até agosto, em comparação com o ano passado. A recuperação da economia ajudou a baixar o défice, com mais receitas e impostos acima do esperado. Já a despesa pública ficou praticamente inalterada e os pagamentos do Estado em atraso subiram.

  • Morreu a egípcia que chegou a pesar 500 quilos

    Mundo

    A egípcia Eman Ahmed Abd El Aty, de 37 anos, que chegou a pesar 500 quilos, morreu num hospital de Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos, devido a complicações cardíacas na sequência do seu excesso de peso.