sicnot

Perfil

Mundo

"Mesmo morto, Mugabe será eleito", garante a mulher

© Philimon Bulawayo / Reuters

A primeira-dama do Zimbabué, Grace Mugabe, está convencida que o seu marido, Robert Mugabe, que vai fazer 93 anos na próxima semana, será reeleito chefe de Estado mesmo que morra antes das Presidenciais de 2018.

"Um dia, quando Deus decidir que Mugabe deve morrer, apresentaremos o seu cadáver como candidato", afirmou Grace aos milhares de apoiantes de Mugabe que a aclamavam num comício em Buhera, no Leste do Zimbabué.

Grace Mugabe acusou alguns responsáveis da União Nacional Africana do Zimbabué - Frente Patriótica ZANU-PF (no poder) de conspirarem para tomar o poder ao seu marido.

O Presidente, que cumpre 93 anos na terça-feira, reduziu o número de compromissos públicos na mesma proporção em que a sua mulher, de 51 anos, se tornou cada vez mais visível politicamente.

Mugabe está no poder desde acabou o regime da minoria branca no Zimbabué, em 1980, após vários anos de guerra.

Está prevista para 25 de fevereiro uma grande festa para comemorar o seu aniversário.

Grace Mugabe avisou os antigos companheiros de Mugabe - ainda dos tempos da guerrilha contra o regime da minoria branca - que não poderão assumir o poder, porque também eles já são velhos.

"Os que estiveram com Mugabe em 1980 não têm o direito de lhe dizer que ele é velho. Se querem que ele se vá embora, então saiam juntos. Também vocês têm de sair. Então nós assumimos porque não estivemos lá em 1980", disse Grace Mugabe, apontando para si.

Grace Mugabe tem manifestado uma feroz lealdade para com o seu marido, afirmando que se for preciso lhe compra uma cadeira de rodas que empurrará o tempo que for necessário para que este se mantenha no poder.

Mugabe já declarou que quer viver até aos 100 e governar enquanto for vivo, queixando-se das várias fações do seu partido, a ZANU-PF, que lutam entre si para obter a melhor posição para uma corrida à sua sucessão.

com Lusa

  • A casa dos horrores
    7:57
  • PGR e presidente do Supremo deixam recado à ministra da Justiça
    2:45

    País

    Durante a abertura do ano judicial, a Procuradora-Geral da República e o presidente do Supremo Tribunal aproveitaram para deixar um recado à ministra da Justiça: é urgente aprovar o novo estatuto de juízes e magistrados. O presidente do Supremo diz que é injusta a má imagem da Justiça e pediu contenção aos magistrados.

  • Rui Rio tem sentido "alguma turbulência" no PSD
    2:01

    País

    Rui Rio e Pedro Passos Coelho tiveram esta quinta-feira a primeira reunião, desde que foi eleito o novo líder do PSD. À saída, Passos Coelho desejou que esta transição decorra com naturalidade. Já Rui Rio disse que tem sentido alguma turbulência no partido.

  • Sindicatos rejeitam fim das baixas médicas até três dias
    2:02

    País

    A CGTP quer levar o tema das baixas médicas à Concertação Social, já a UGT diz que há outras matérias prioritárias. Ainda assim as duas centrais sindicais lembram que a não justificação de faltas pode dar origem a um despedimento por justa causa. Esta quinta-feira o bastonário da Ordem dos Médicos propôs ao Governo que acabe com as baixas de curta duração, até três dias.

  • Papa interrompe percurso no Chile para ajudar polícia
    0:21