sicnot

Perfil

Mundo

Governo do Egito quer fomentar agricultura no deserto

© Handout . / Reuters

O Governo do Egito apresentou esta quarta-feira um projeto de cultivo de grandes extensões do deserto, em que colabora com a agência da Organização das Nações Unidas para a agricultura e alimentação (FAO, na sigla em inglês).

O projeto, que pretende estabelecer cultivos em 6.300 quilómetros quadrados de terras hoje desérticas, foi apresentado numa cerimónia com a presença do diretor-geral da FAO, José Graziano da Silva.

Durante o discurso, Graziano da Silva disse que a FAO apoia "a visão" do Presidente egípcio, Abdelfatah al Sisi, que pretende que o país "recupere o papel de grande produtor agrícola".

O novo plano, chamado "Mega Projeto 1,5 Milhões de Fedans" (unidade de medida que equivale a 0,42 hectares), pretende precisamente moderar a elevada dependência do Egito das importações agrícolas, melhorando a segurança alimentar e reduzindo a sua vulnerabilidade às subidas de preços.

Os técnicos da FAO estão desde há um ano a apoiar o projeto, que começou com a identificação das terras com potencial uso agrícola, na sua maioria situadas a oeste do rio Nilo e longe de qualquer fonte renovável de água potável.

Na primeira fase, concluída em outubro, ofereceu-se um terço das terras a grandes investidores, se bem que o Governo já tenha assegurado que também vai dar oportunidades aos pequenos agricultores.

Os investidores vão ter de apresentar planos de viabilidade e estudos sobre os produtos agrícolas que vão cultivar, o que vai depender da qualidade da terra e da disponibilidade de água.

A maior parte das terras vai ser abastecida com depósitos da dita "água fóssil", que não são renováveis, o que levou o coordenador de projetos regional da FAO, Pasquale Steduto, a destacar a importância de "fazer mais com menos" água, para alargar a vida das plantações.

Os cultivos também vão precisar de soluções para o autoabastecimento de energia, uma vez que as zonas desérticas não estão ligadas à rede elétrica.

Lusa

  • "Estamos vivos"
    11:41

    Reportagem Especial

    Os incêndios de 15 de outubro provocaram sete milhões de euros de prejuízos em empresas da região Norte. Castelo de Paiva foi o concelho mais atingido, o fogo destruiu várias casas e empresas que davam trabalho a cerca de 200 pessoas. Um mês depois do incêndio, a Reportagem Especial da SIC foi ver o que está a ser feito para ajudar a população.

  • Administrador recebia 420 mil € por ano quando aldeamento passava dificuldades
    4:39

    Operação Marquês

    A Caixa Geral de Depósitos tentou cortar para metade o salário do presidente do Conselho de Administração de Vale do Lobo, mas não conseguiu. Diogo Gaspar Ferreira ganhava 420 mil euros por ano, quando o empreendimento estava enterrado em dívidas. A Autoridade Tributária estima também que o arguido da Operação Marquês não tenha declarado 400 mil euros pagos pelo aldeamento.

  • Estudante português desaparecido no mar Báltico

    País

    Um jovem português de 21 anos desapareceu na segunda-feira, dia 13 de novembro, enquanto fazia uma viagem de cruzeiro entre a cidade finlandesa de Helsínquia e a capital da Suécia, Estocolmo. As autoridades locais fizeram buscas na madrugada em que Diogo Penalva caiu ao mar Báltico, por volta das duas da manhã.

  • Notas e moedas têm os dias contados?
    6:27
  • Político oferece 1,3 milhões por decapitação de atriz

    Mundo

    Deepika Padukone é uma das personagens principais do filme que retrata a relação entre uma rainha hindu e um governante muçulmano. O filme enfureceu um político do Governo indiano, que ofereceu 1,3 milhões de euros como recompensa a quem decapitasse a atriz. A polícia já destacou agentes para proteger a atriz, bem como a sua família.

  • Paris inaugura primeiro restaurante naturista

    Mundo

    Para entrar, é preciso retirar a roupa e apenas as mulheres podem permanecer calçadas. O primeiro restaurante naturista de Paris abriu em novembro para responder a uma necessidade em França, principal destino do mundo para os praticantes de nudismo.

  • Peru faz aparição especial na Casa Branca
    1:10

    Mundo

    Os norte-americanos estão a preparar-se para o tradicional Dia de Ação de Graças, assinalado na próxima quinta-feira. O tradicional peru fez esta terça-feira uma aparição especial na sala de conferências de imprensa, na Casa Branca, em Washington. O peru é o prato tradicional no Dia de Ação de Graças, uma data de louvor a Deus, que remonta ao século XVII e que é celebrada na quarta quinta-feira de novembro, sobretudo nos Estados Unidos da América e no Canadá.

  • Sara Sampaio brilha em Xangai
    1:50