sicnot

Perfil

Mundo

Mulher mais pesada do mundo perdeu 120 quilos num mês

Uma mulher egípcia que chegou a pesar 500 quilos, sendo por isso considerada a mais pesada do mundo, foi submetida a uma cirurgia para perda de peso. A intervenção foi realiza num hospital da Índia e Eman Ahmed Abd El Aty, de 36 anos, já perdeu 120 quilos em menos de um mês.

De acordo com o porta-voz do Saifee Hospital, que falou à BBC, espera-se que Eman Aty continue a perder peso nos próximos meses.

"Estamos a tentar que ela perca peso de modo a que consiga regressar ao Egito o mais rapidamente possível", refere também o comunicado do hospital de Mumbai.

Nos últimos 25 anos, Eman Aty nunca saiu de casa devido à sua obesidade. A família foi obrigada a fretar um avião para transportá-la para Mumbai, onde foi submetida aos cuidados de uma equipa de médicos liderada pelo cirurgião Muffazal Lakdawala, que revela que o objetivo passa por pesar menos de 100 quilos.

O financiamento das deslocações, bem como de outras despesas inerentes ao tratamento de Eman Aty, estão a ser possíveis em parte graças ao crowdfunding. O cirurgião Muffazal Lakdawala envolveu-se pessoalmente na campanha "Ajude a salvar Eman".

  • A fuga dos PIDES
    20:08
  • Dominado incêncio no centro de tratamento de resíduos da Tratolixo
    1:55

    País

    O fogo na Tratolixo, em Trajouce, deflagrou esta segunda-feira à noite. As chamas foram controladas a meio da manhã pelos bombeiros. No local estão 133 operacionais, apoiados por 51 veículos. O fogo não fez vítimas nem danos materiais. O vento dificultou o combate às chamas.

  • Duas execuções no mesmo dia pela primeira vez em 17 anos nos EUA

    Mundo

    O estado norte-americano do Arkansas (sul) executou, na noite de segunda-feira, dois condenados à morte, o que sucede pela primeira vez em 17 anos no país, anunciou a procuradora-geral daquele estado. Jack Jones e Marcel Williams, condenados separadamente na década de 1990 à pena capital por violação e assassínio, receberam uma injeção letal depois de diferentes tribunais terem rejeitado os respetivos recursos, afirmou Leslie Rutledge, em comunicado.