sicnot

Perfil

Mundo

Mulher mais pesada do mundo perdeu 120 quilos num mês

Uma mulher egípcia que chegou a pesar 500 quilos, sendo por isso considerada a mais pesada do mundo, foi submetida a uma cirurgia para perda de peso. A intervenção foi realiza num hospital da Índia e Eman Ahmed Abd El Aty, de 36 anos, já perdeu 120 quilos em menos de um mês.

De acordo com o porta-voz do Saifee Hospital, que falou à BBC, espera-se que Eman Aty continue a perder peso nos próximos meses.

"Estamos a tentar que ela perca peso de modo a que consiga regressar ao Egito o mais rapidamente possível", refere também o comunicado do hospital de Mumbai.

Nos últimos 25 anos, Eman Aty nunca saiu de casa devido à sua obesidade. A família foi obrigada a fretar um avião para transportá-la para Mumbai, onde foi submetida aos cuidados de uma equipa de médicos liderada pelo cirurgião Muffazal Lakdawala, que revela que o objetivo passa por pesar menos de 100 quilos.

O financiamento das deslocações, bem como de outras despesas inerentes ao tratamento de Eman Aty, estão a ser possíveis em parte graças ao crowdfunding. O cirurgião Muffazal Lakdawala envolveu-se pessoalmente na campanha "Ajude a salvar Eman".

  • A casa dos horrores
    7:57
  • PGR e presidente do Supremo deixam recado à ministra da Justiça
    2:45

    País

    Durante a abertura do ano judicial, a Procuradora-Geral da República e o presidente do Supremo Tribunal aproveitaram para deixar um recado à ministra da Justiça: é urgente aprovar o novo estatuto de juízes e magistrados. O presidente do Supremo diz que é injusta a má imagem da Justiça e pediu contenção aos magistrados.

  • Rui Rio tem sentido "alguma turbulência" no PSD
    2:01

    País

    Rui Rio e Pedro Passos Coelho tiveram esta quinta-feira a primeira reunião, desde que foi eleito o novo líder do PSD. À saída, Passos Coelho desejou que esta transição decorra com naturalidade. Já Rui Rio disse que tem sentido alguma turbulência no partido.

  • Sindicatos rejeitam fim das baixas médicas até três dias
    2:02

    País

    A CGTP quer levar o tema das baixas médicas à Concertação Social, já a UGT diz que há outras matérias prioritárias. Ainda assim as duas centrais sindicais lembram que a não justificação de faltas pode dar origem a um despedimento por justa causa. Esta quinta-feira o bastonário da Ordem dos Médicos propôs ao Governo que acabe com as baixas de curta duração, até três dias.

  • Papa interrompe percurso no Chile para ajudar polícia
    0:21
  • "Mundo à Vista" no Gana
    7:38