sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 30 mortos em ataque a barco com refugiados somalis no Iémen

© ABDULJABBAR ZEYAD / Reuters

Pelo menos 33 refugiados somalis, incluindo mulheres e crianças, foram mortos a tiro a bordo de uma embarcação no Mar Vermelho, disseram hoje responsáveis da cidade de Hodeida, no Iémen, que é controlada pelos rebeldes.

Os corpos de 33 refugiados foram levados para hospitais da cidade portuária, disse um responsável hospitalar, adiantando que também deram entrada 35 feridos.

Uma fonte portuária em Hodeida, controlada pelos rebeldes xiitas Huthi, confirmou o balanço de 33 mortos.

Segundo o porta-voz da Organização Internacional para as Migrações (OIM), Joel Millman, o número de mortos é de pelo menos 31 e 80 sobreviventes foram transportados para hospitais.

O ataque foi noticiado antes por uma agência noticiosa dos rebeldes iemenitas, que referiu que a embarcação com os refugiados se encontrava perto do estreito de Bab al-Mandab.

Num contacto com a imprensa em Genebra, Millman disse não poder confirmar informações de que o ataque, que teria acontecido na quinta-feira, tinha sido realizado por um helicóptero Apache.

"A nossa confirmação é que há dezenas de mortos e dezenas de sobreviventes levados para hospitais", referiu o porta-voz da OMI citado pela agência norte-americana Associated Press.

  • Famílias das vítimas de Pedrógão criam associação para apurar responsabilidades
    2:13
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15