sicnot

Perfil

Mundo

Ministro de Israel ameaça destruir sistema de defesa aérea sírio

© POOL New / Reuters

O ministro da Defesa de Israel Avigdor Lieberman advertiu este domingo que a aviação israelita destruirá os sistemas de defesa aérea da Síria se o exército de Bashar al-Assad voltar a disparar mísseis contra aviões israelitas.

"A próxima vez que os sírios usarem os seus sistemas de defesa aérea contra os nossos aviões, vamos destruí-los sem a menor hesitação", disse à rádio pública.

Aviões israelitas que na sexta-feira participaram numa operação para intercetar uma suposta transferência de armas para as milícias do Hezbollah na Síria foram visados por um míssil sírio, míssil que foi no entanto intercetado. As Forças Armadas sírias anunciaram, após o incidente, ter abatido um avião israelita e atingido outro, o que é negado por Israel.

Israel e a Síria continuam oficialmente em guerra há décadas. As relações agravaram-se ainda mais com o apoio prestado ao regime sírio pelo movimento xiita libanês do Hezbollah e pelo Irão, dois dos maiores inimigos de Israel.

Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.