sicnot

Perfil

Mundo

Ministro de Israel ameaça destruir sistema de defesa aérea sírio

© POOL New / Reuters

O ministro da Defesa de Israel Avigdor Lieberman advertiu este domingo que a aviação israelita destruirá os sistemas de defesa aérea da Síria se o exército de Bashar al-Assad voltar a disparar mísseis contra aviões israelitas.

"A próxima vez que os sírios usarem os seus sistemas de defesa aérea contra os nossos aviões, vamos destruí-los sem a menor hesitação", disse à rádio pública.

Aviões israelitas que na sexta-feira participaram numa operação para intercetar uma suposta transferência de armas para as milícias do Hezbollah na Síria foram visados por um míssil sírio, míssil que foi no entanto intercetado. As Forças Armadas sírias anunciaram, após o incidente, ter abatido um avião israelita e atingido outro, o que é negado por Israel.

Israel e a Síria continuam oficialmente em guerra há décadas. As relações agravaram-se ainda mais com o apoio prestado ao regime sírio pelo movimento xiita libanês do Hezbollah e pelo Irão, dois dos maiores inimigos de Israel.

Lusa

  • A casa dos horrores
    7:57
  • PGR e presidente do Supremo deixam recado à ministra da Justiça
    2:45

    País

    Durante a abertura do ano judicial, a Procuradora-Geral da República e o presidente do Supremo Tribunal aproveitaram para deixar um recado à ministra da Justiça: é urgente aprovar o novo estatuto de juízes e magistrados. O presidente do Supremo diz que é injusta a má imagem da Justiça e pediu contenção aos magistrados.

  • Rui Rio tem sentido "alguma turbulência" no PSD
    2:01

    País

    Rui Rio e Pedro Passos Coelho tiveram esta quinta-feira a primeira reunião, desde que foi eleito o novo líder do PSD. À saída, Passos Coelho desejou que esta transição decorra com naturalidade. Já Rui Rio disse que tem sentido alguma turbulência no partido.

  • Sindicatos rejeitam fim das baixas médicas até três dias
    2:02

    País

    A CGTP quer levar o tema das baixas médicas à Concertação Social, já a UGT diz que há outras matérias prioritárias. Ainda assim as duas centrais sindicais lembram que a não justificação de faltas pode dar origem a um despedimento por justa causa. Esta quinta-feira o bastonário da Ordem dos Médicos propôs ao Governo que acabe com as baixas de curta duração, até três dias.

  • Papa interrompe percurso no Chile para ajudar polícia
    0:21
  • "Mundo à Vista" no Gana
    7:38