sicnot

Perfil

Mundo

EUA impõem restrições a aparelhos eletrónicos em aviões provenientes de 10 aeroportos

© Carlo Allegri / Reuters

Os Estados Unidos estão a impor novas restrições ao uso de certos aparelhos eletrónicos em aviões provenientes de 10 aeroportos do Médio Oriente e Norte de África. A deliberação da Administração norte-americana surge na sequência de ameaças terroristas não especificadas. Tabletes, computadores e DVD portáteis, câmaras fotográficas e de vídeo, são exemplos dos aparelhos que passam a não ser permitidos na cabine, podendo ser transportados apenas no porão.

O Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos impôs novas regras aos passageiros oriundos da Jordânia, Egito, Turquia, Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Koweit, Marrocos e Qatar, relativas ao transporte de todos os aparelhos eletrónicos maiores que um telemóvel.

Os aeroportos afetados por esta medida hoje anunciada são os de Amã, Cairo, Cidade do Koweit , Doha, Dubai, Istambul, Adu Dhabi, Casablanca, Riade/ Jeddah (Aeroporto Internacional King Abdulaziz) e Arábia Saudita.

As companhias aéreas têm até sexta-feira para proceder ao cumprimento das novas medidas.

Fontes oficiais garantem que a medida nada tem a ver com as restrições impostas por Donald Trump à entrada nos EUA de pessoas provenientes de seis países de maioria muçulmana.

Um porta-voz do Departamento de Segurança Interna, citado pela agência Reuter, garantiu que a decisão "não visa determinados países, é baseada na avaliação dos serviços de informação que determinou quais os aeroportos afetados".

A Administração norte-americana anunciou ontem esta intenção, confirmada hoje, com base em ameaças terroristas que não especificou, que continuam a demonstrar o interesse em atingir aviões comerciais e centros de transporte, como os aeroportos.

  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, fez 100 dias este sábado. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52