sicnot

Perfil

Mundo

Número de quenianos com fome duplica para três milhões

O número de quenianos que necessita de ajuda alimentar de emergência duplicou nos últimos três meses para três milhões, informou esta terça-feira a Cruz Vermelha.

O Quénia é um dos vários países da África Oriental que sofrem crises alimentares, juntamente com a Etiópia e o Sudão do Sul, onde a fome já foi declarada, enquanto a Somália arrisca a sua terceira fome em 25 anos.

Fora da região, o Iémen e a Nigéria também enfrentam a fome, no que as Nações Unidas designaram como a pior crise humanitária desde o final da Segunda Guerra Mundial.

Como muitos dos seus vizinhos, o Quénia sofre os efeitos de dois anos consecutivos com pouca chuva, o que reduziu as colheitas significativamente, levou ao aumento do preço dos alimentos e à subida da inflação.

"A situação está a piorar diariamente. As taxas de desnutrição entre as crianças estão a subir. As crianças estão a ficar doentes e as famílias ficaram sem meios de subsistência devido à morte do seu gado", disse Abbas Gullet, secretário-geral da Cruz Vermelha do Quénia, citado num comunicado.

O número de quenianos com fome pode aumentar para quatro milhões nas próximas semanas, adianta o comunicado.

Fatoumata Nafo-Traore, diretora para África da Federação Internacional da Cruz Vermelha, declarou que "as organizações humanitárias precisam de recursos para responder à escala necessária".

"Se não o fizermos, milhares de pessoas podem morrer e as crianças ficarão afetadas para o resto das suas vidas", adiantou.

Lusa

  • O encontro emocionado de Marcelo com a mãe de uma das vítimas dos fogos
    0:30
  • Proteção Civil garante que já não há desaparecidos
    1:40
  • "Depois de sair da autoestrada o vidro do carro ainda estava a ferver"
    2:01
  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15
  • O desabafo de um empresário que perdeu "uma vida inteira de trabalho" no fogo
    2:08
  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10
  • As comunicações entre operacionais no combate às chamas em Viseu
    2:27
  • Houve "erros defensivos que normalmente a equipa não comete"
    0:38

    Desporto

    No final do jogo, quando questionado sobre a ausência de Casillas no onze do FC Porto, Sérgio Conceição referiu que a equipa apresentada era aquela que lhe oferecia garantias. Quanto ao jogo, o treinador portista reconheceu que a equipa cometeu vários erros defensivos.

  • "Cometemos erros e há que tentar corrigi-los"
    0:41

    Desporto

    No final do jogo em Leipzig, Iván Marcano desvalorizou a ausência de Iker Casillas e entendeu que o facto de o guarda-redes ter ficado no banco não teve impacto na equipa. Já sobre o jogo, o central espanhol garantiu que não correu da forma como os jogadores esperavam.

  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.