sicnot

Perfil

Mundo

Os ataques na Europa com recurso a veículos

Um camião abalroou esta sexta-feira várias pessoas, numa rua comercial no centro de Estocolmo, na Suécia. Até ao momento, estão confirmados pelo menos três mortos. Esta não é a primeira vez que um ataque do género é perpetuado na Europa.

Ataque em Nice

A 14 de julho de 2016, um camião embateu numa multidão que estava a festejar o Dia Nacional de França, em Nice. Ao todo, 84 pessoas morreram e mais de 200 ficaram feridas.

Nice, França

Nice, França

© Eric Gaillard / Reuters

Após o atropelamento, o autor do ataque ainda saiu do camião para disparar contra a multidão, mas acabou por ser abatido pelas autoridades.

O autor do ataque chamava-se Mohamed Bouhlel e tinha 31 anos. O homem franco-tunisiano já tinha sido condenado por pequeno delitos, principalmente atos de violência, mas não estava sinalizado pela polícia.

Apesar de o Daesh ter reivindicado o ataque, não foi possível provar se o atacante tinha ligações ao grupo extremista.

Após a investigação das autoridades francesas, ficou a saber-se que Bouhlel planeou o ataque a Nice com mais cinco pessoas, que estão em prisão preventiva por suspeitas de cumplicidade.

Nice, França

Nice, França

© XXSTRINGERXX xxxxx / Reuters

Ataque em Berlim

A Alemanha também sofreu um ataque do género, a 19 de dezembro de 2016. Um camião entrou por um mercado de Natal em Berlim, abalroando a multidão que por ali passeava. O ataque fez 12 mortos e mais de 50 feridos.

Berlim, Alemanha

Berlim, Alemanha

© Hannibal Hanschke / Reuters

Antes do ataque, o atacante matou o condutor do camião e colocou-o no lugar do pendura, de modo a poder roubar o camião e avançar contra o mercado de Natal.

O homem conseguiu fugir às autoridades durante quatro dias, até ser abatido em Milão, Itália, quatro dias depois, a 23 de dezembro.

Anis Amri

Anis Amri

O atacante foi identificado como Anis Amri, um tunisiano de 24 anos, que tinha jurado lealdade ao Daesh. O grupo extremista reivindicou o ataque dias depois.

Berlim, Alemanha

Berlim, Alemanha

© Fabrizio Bensch / Reuters

Ataque em Londres

Em março, aconteceu mais um ataque do género, mas desta vez com um carro, e não com um camião.

A 22 de março, um homem num carro abalroou as pessoas que estavam a passear na ponte de Westminster, em Londres. O homem atropelou várias pessoas, antes de embater contra as grades do Parlamento britânico.

O atacante saiu do carro e esfaqueou um polícia que o tentou parar e, nessa altura, foi abatido pelas autoridades.

Londres, Inglaterra

Londres, Inglaterra

© Toby Melville / Reuters

O ataque fez seis mortos: três civis atropelados, o polícia esfaqueado, uma mulher que se atirou da ponte de Westminster para fugir ao atacante e o próprio autor do crime.

O atacante foi identificado como Khalid Masood, nascido como Adrian Russell Ajao.

Apesar do Daesh ter reivindicado o ataque, a polícia britânica não encontrou ligações entre o autor do ataque e o grupo jihadistas, que o reclamou como um dos seus "soldados".

Khalid Masood

Khalid Masood

Ataque em Estocolmo

Esta sexta-feira, um camião abalroou uma multidão no centro de Estocolmo, fazendo pelo menos três mortos e vários feridos. Segundo as testemunhas, foram também ouvidos disparos, e o primeiro-ministro sueco admitiu a possibilidade de se tratar de um atentado.

Estocolmo, Suécia

Estocolmo, Suécia

© TT News Agency / Reuters

  • Camião usado no ataque de Estocolmo foi roubado
    0:56

    Mundo

    O camião que atingiu esta sexta-feira um centro comercial de Estocolmo, na Suécia, fez três vítimas mortais e um número indeterminado de feridos. O primeiro-ministro sueco diz que tudo indica tratar-se de um ataque terrorista. A empresa dona do camião confirma que o veículo foi roubado esta sexta-feira de manhã. 

  • "Estamos solidários com o povo da Suécia"

    Mundo

    O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, ofereceu à Suécia todo o apoio necessário de Bruxelas num atentado que é "contra todos" os Estados-membros, após o atropelamento de várias pessoas, hoje, em Estocolmo.

  • "Há muito que na Suécia se esperam atentados"
    3:49

    Mundo

    António Dias tem os dois filhos e a mulher em Estocolmo, na Suécia. O músico português diz que conhece bem a realidade sueca e admite que o ataque de hoje não é "surpresa", alertando que "há muito que na Suécia se esperam atentados". 

  • Estação de comboios no centro de Estocolmo evacuada

    Mundo

    A polícia sueca ordenou a evacuação da estação ferroviária no centro de Estocolmo, capital da Suécia. Um camião atropelou hoje várias pessoas numa zona comercial na baixa da cidade, causando pelo menos três mortos e diversos feridos. Segundo o canal de televisão sueco SVT, ouviram-se tiros. O metro de Estocolmo também foi encerrado.

  • Sete dos 23 arguidos do caso da Academia de Alcochete já têm cadastro
    1:59

    Crise no Sporting

    Sete dos 23 arguidos do caso da Academia de Alcochete já foram condenados por 22 crimes que cometeram no passado, mas nunca nenhum deles cumpriu pena de prisão ou prisão domiciliária. O juiz decretou a prisão preventiva na sequência das agressões à equipa do Sporting por entender que se tratou de um comportamento chocante, terrorista e a perversão do espírito desportivo.

  • Está a pensar ir à praia? Não se esqueça do guarda-chuva
    0:43
  • Cabazes solidários oferecidos pelo Governo encontrados no lixo
    0:57
  • EUA expulsa dois diplomatas venezuelanos e dá-lhes 48 horas para deixarem o país

    Mundo

    Os Estados Unidos anunciaram, na quarta-feira, a expulsão de dois diplomatas venezuelanos, aos quais deu um prazo de 48 horas para sairem do país. A decisão é a resposta ao anúncio de Presidente da Venezuela de expulsar o encarregado de negócios e o chefe da secção política da embaixada dos Estados Unidos em Caracas, Todd Robinson e Brian Naranjo, respetivamente.