sicnot

Perfil

Mundo

Facebook quer tornar a sua câmara na principal plataforma de realidade aumentada

Stephen Lam

O Facebook abriu a uma legião de programadores o acesso à sua aplicação de câmara, com o objetivo de a converterem na "principal" plataforma de "realidade aumentada", disse esta terça-feira o presidente executivo da rede social, Mark Zuckerberg.

"Vamos converter a câmara na principal plataforma de realidade aumentada (...) dando aos programadores o poder de criar", disse Mark Zuckerberg, na abertura da conferência "F8", um evento que antecipa as tendências nas quais a companhia apostará no futuro e que se celebra em São José, no Estado da Califórnia, Estados Unidos, entre terça-feira e quarta-feira.

Nas últimas semanas, o Facebook implementou nas suas aplicações uma câmara que, segundo o fundador da rede social, será "mais essencial que as mensagens de texto" porque a tendência tecnológica da realidade aumentada a longo prazo é juntar a conectividade e a inteligência artificial.

Para "misturar o digital e o físico", os programadores vão criar efeitos para a câmara e máscaras com três blocos técnicos que articulam a realidade aumentada, a localização e mapeamento simultâneo (SLAM), os efeitos tridimensionais (3D) e o reconhecimento de objetos.

A primeira conferência "F8" celebrou-se há dez anos, quando o fundador da rede social anunciou que abria aos programadores o acesso aos dados do Facebook e à sua plataforma social Graph, e desde aí tem sido um evento para anunciar novos produtos e programas.

Lusa

  • Famílias das vítimas de Pedrógão criam associação para apurar responsabilidades
    2:13
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15