sicnot

Perfil

Mundo

Sul-coreano morre depois de comer um sapo

sapo

Tim Wimborne

Um sul-coreano morreu depois de comer um sapo. O homem pensou que se tratava de rãs próprias para alimentação, mas na verdade era um sapo venenoso.

Segundo a BBC, o caso foi avançado pela polícia local esta sexta-feira, mas o incidente aconteceu em março.

O homem terá capturado cinco destes anfíbios numa reserva, perto da cidade de Daejeon, na Coreia do Sul. Acreditando que se tratavam de rãs-touro, o homem cozinhou os animais e, juntamente com um grupo, comeu-os num restaurante.

Contudo, logo depois, o homem de 57 anos começou a vomitar e teve de ser levado para o hospital, onde acabou por morrer na manhã seguinte. De acordo com o jornal inglês, foi encontrada bufotenina - um químico comum na toxina do sapo - no prato.

Os outros elementos do grupo, que também ingeriram sapos, apresentaram os mesmos sintomas de envenenamento, mas conseguiram sobreviver..

Rã-touro

Rã-touro

Reuters Staff

As rãs-touro são uma iguaria em algumas zonas rurais da Coreia do Sul.

A bufotenina pode ser fatal, quando ingerida em grandes doses. No entanto, é também um psicadélico natural, havendo até quem lamba sapos, numa tentativa a alcançar um efeito alucinogénico.

  • Os números das eleições francesas
    0:50

    Eleições França 2017

    Os resultados definitivos mostram que Emmanuel Macron obteve 24% dos votos, na primeira volta das eleições francesas. Ficou quase três pontos à frente de Marine Le Pen, que conseguiu 21,3%. Os números oficiais, publicados pelo Ministério do Interior, dão ainda conta da taxa de abstenção: 22,2%, um ligeiro aumento face à primeira volta das presidenciais de 2012.

  • Estarão os portugueses a consumir vitamina D em excesso? 
    6:44
  • Investigadores criam nanovacina contra diferentes cancros

    Mundo

    Investigadores da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, desenvolveram uma nanovacina (vacina administrada através de partículas microscópicas) contra diferentes cancros, como o da pele, do cólon e do reto, numa experiência com ratos, revela um estudo publicado esta segunda-feira.