sicnot

Perfil

Mundo

Sul-coreano morre depois de comer um sapo

sapo

Tim Wimborne

Um sul-coreano morreu depois de comer um sapo. O homem pensou que se tratava de rãs próprias para alimentação, mas na verdade era um sapo venenoso.

Segundo a BBC, o caso foi avançado pela polícia local esta sexta-feira, mas o incidente aconteceu em março.

O homem terá capturado cinco destes anfíbios numa reserva, perto da cidade de Daejeon, na Coreia do Sul. Acreditando que se tratavam de rãs-touro, o homem cozinhou os animais e, juntamente com um grupo, comeu-os num restaurante.

Contudo, logo depois, o homem de 57 anos começou a vomitar e teve de ser levado para o hospital, onde acabou por morrer na manhã seguinte. De acordo com o jornal inglês, foi encontrada bufotenina - um químico comum na toxina do sapo - no prato.

Os outros elementos do grupo, que também ingeriram sapos, apresentaram os mesmos sintomas de envenenamento, mas conseguiram sobreviver..

Rã-touro

Rã-touro

Reuters Staff

As rãs-touro são uma iguaria em algumas zonas rurais da Coreia do Sul.

A bufotenina pode ser fatal, quando ingerida em grandes doses. No entanto, é também um psicadélico natural, havendo até quem lamba sapos, numa tentativa a alcançar um efeito alucinogénico.

  • António Costa evita perguntas sobre estágios não remunerados
    1:55
  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.