sicnot

Perfil

Mundo

Investigação sobre desaparecimento de empresário português em Moçambique vai continuar

O ministro da Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos de Moçambique disse esta quarta-feira no Parlamento que estão em curso diligências para esclarecer o desaparecimento de um empresário português no centro do país, em junho do ano passado.

"Decorrem diligências investigativas pertinentes para o esclarecimento do caso", declarou Isac Chande, em resposta a uma pergunta da bancada do Movimento Democrático de Moçambique (MDM), terceiro maior partido, sobre o ponto de situação do desaparecimento de Américo Sebastião, ocorrido em 29 de junho de 2016.

As autoridades portuguesas, afirmou Chande, foram em várias ocasiões informadas sobre as diligências em curso.

"Em relação ao mesmo assunto, importa referir que houve interpelação das autoridades portuguesas, tendo o Governo da República de Moçambique, em diferentes momentos, partilhado as informações de que dispõe sobre o caso", disse o ministro.

Isac Chande afirmou que Américo Sebastião foi levado na manhã de 29 de junho de 2016 para lugar incerto por desconhecidos que se faziam transportar numa viatura, em Nhamapadza, distrito de Marínguè, província de Sofala, centro de Moçambique.

De acordo com Chande, Américo Sebastião foi raptado quando se encontrava numa estação de serviços a comprar combustível e trazia com ele farinha de milho e uma avultada soma de dinheiro, aparentemente para pagar ordenados aos seus trabalhadores.

"Devido à relevância do caso e às dificuldades de efetuar diligências na região por ser palco de instabilidade político-militar, o digníssimo magistrado do Ministério Público local ordenou a remessa dos autos à Direção Provincial de Investigação Criminal de Sofala, para procedimentos subsequentes", indicou Isac Chande.

Em março, o ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Augusto Santos Silva, disse que as autoridades portuguesas estavam "muito preocupadas" com a falta de informação sobre a localização do cidadão português.

Américo Sebastião desapareceu numa zona de forte presença das Forças de Defesa e Segurança, envolvidas em confrontos com o braço armado da Resistência Nacional Moçambicana (Renamo).

Na semana passada, o Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, anunciou a retirada das Forças de Defesa e Segurança moçambicanas de Gorongosa, centro do país.

O chefe de Estado e Afonso Dhlakama têm feito declarações públicas em que se mostram confiantes num anúncio de paz efetiva após o período de tréguas declarado pelo líder da Renamo e que termina na quinta-feira.

Lusa

  • Manuel Delgado demitiu-se devido a "grave violação da privacidade"

    País

    O ex-secretário de Estado da Saúde diz que apresentou a demissão para "não perturbar nem criar qualquer tipo de embaraço ao normal funcionamento do Governo". Num comunicado emitido hoje, Manuel Delgado esclarece que foi remunerado pelo trabalho de consultor na Raríssimas "muito antes" da entrada no Governo e acrescenta que respeitou na íntegra todo o quadro legal e ético.

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28