sicnot

Perfil

Mundo

Guterres "encorajado" por acordo sobre zonas seguras na Síria

JASON SZENES

O secretário-geral da ONU, António Guterres, disse na quinta-feira estar "encorajado" pelo acordo entre a Rússia, Irão e Turquia sobre o estabelecimento de áreas seguras na Síria destinadas a instaurar um cessar-fogo em algumas regiões do país.

"Será crucial ver este acordo melhorar realmente a vida dos sírios", disse o porta-voz de António Guterres, Stéphane Dujarric, em comunicado.

António Guterres "saudou igualmente o compromisso de acabar com o uso de todas as armas, particularmente os meios aéreos", e a promessa de prestar ajuda humanitárias às zonas afetadas, segundo o seu porta-voz.

"Este é um dia importante", disse antes o enviado da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, em Astana, afirmando esperar progressos concretos para o estabelecimento dessas áreas nas duas semanas até à retoma das negociações de paz em Genebra.

Washington, que não é observador no processo diplomático sobre o conflito sírio, o qual decorre em Astana entre Moscovo, Teerão e Ancara, mostrou-se prudente na quinta-feira, emitindo um comunicado "a apoiar todos os esforços que possam verdadeiramente reduzir a violência na Síria".

A ONU estima que pelo menos 320.000 pessoas morreram e milhões foram obrigadas a fugir desde o início do conflito armado na Síria, em março de 2011.

Lusa

  • Uma viagem pela Estrada Nacional 236
    2:52
  • A reconstrução depois da tragédia de Pedrógão
    2:43
  • Marcelo reúne-se na quarta-feira com Putin

    País

    O Presidente da República reúne-se na quarta-feira, em Moscovo, com o líder russo, Vladimir Putin, informou este domingo a Presidência. Marcelo Rebelo de Sousa estará na capital da Federação Russa para assistir ao jogo da seleção portuguesa na fase final do Mundial de Futebol com a equipa de Marrocos

  • Novo busto de Ronaldo foi pedido pelo Museu CR7
    2:07
  • Grécia e Macedónia assinam acordo histórico
    2:02

    Mundo

    A Grécia e a Macedónia assinaram um acordo histórico para mudar o nome da antiga República Jugoslava para República da Macedónia do Norte. Em causa está um problema diplomático entre os dois países que dificultou os planos da Macedónia em aderir à União Europeia e às Nações Unidas.