sicnot

Perfil

Mundo

Parlamento venezuelano aprova "inconstitucionalidade e nulidade" de Assembleia Constituinte

© Carlos Garcia Rawlins / Reute

O parlamento da Venezuela, controlado pela oposição, aprovou na terça-feira um acordo sobre a "inconstitucionalidade e nulidade" do decreto presidencial que convoca a formação de uma Assembleia Constituinte.

No debate, que só contou com a participação de deputados da oposição, foi aprovado o acordo "sobre a inconstitucionalidade e nulidade dos decretos (...) sobre a fraudulenta convocação de uma Assembleia Constituinte feita pelo Presidente" Nicolas Maduro, em conselho de ministros.

O chefe de Estado foi acusado de querer "manter-se no poder" e ignorar "o direito de voto", tendo proposto a "Assembleia Constituinte para ganhar tempo", disse o deputado Omar Barboza, que apresentou o acordo.

"É mais uma assembleia do Partido Socialista Unido da Venezuela (no poder) que uma Constituinte para responder verdadeiramente aos interesses do povo", explicou.

Omar Barboza questionou a falta de soluções para os problemas políticos e económicos do país.

O deputado Luís Florido insistiu que o Presidente Nicolás Maduro "quer fazer uma constituinte sem o povo, impor o socialismo do século XX através da força". "Se Maduro quer converter o Estado em socialista, 80% das pessoas querem uma democracia (...) A democracia venezuelana não se rende aos teus pés, Nicolás Maduro, e vai continuar nas ruas", advertiu.

Os parlamentares venezuelanos defenderam que a convocatória de uma Assembleia Constituinte deve ser submetida a um referendo popular.

A 1 de maio, o Presidente Nicolás Maduro pediu aos venezuelanos para elegerem uma Assembleia Nacional Constituinte cidadã, em defesa a paz e estabilidade da República, de incluir um novo sistema económico, segurança, diplomacia e identidade cultural.

Segundo Nicolás Maduro, como parte das suas "atribuições constitucionais" está a reforma do Estado venezuelano, modificar a ordem jurídica, permitindo a convocatória redigir uma nova Constituição.

Nas últimas seis semanas, os protestos a favor e contra Maduro intensificaram-se e causaram pelo menos 44 mortos e mais de 700 feridos.

Lusa

  • Protestos na Venezuela já provocaram 44 mortos

    Mundo

    Pelo menos 44 pessoas faleceram na Venezuela, entre 1 de abril e 7 de maio, no âmbito de protestos contra o Governo do Presidente Nicolás Maduro, segundo dados divulgados esta terça-feira pelo Observatório Venezuelano de Conflituosidade Social (OVSC).

  • Lusodescendentes fogem à crise na Venezuela
    2:43

    Mundo

    A oposição venezuelana está decidida a continuar os protestos contra o Presidente Nicolás Maduro. A repressão policial tem aumentado, o que obriga muitos venezuelanos a fugir do país. Alguns lusodescendentes optaram por regressar a Portugal, muitos deixando a família mais próxima.

  • Manuel Pinho suspeito de quatro offshores e pelo menos 1M€ em luvas do GES
    1:31
  • Fim de semana de chuva, trovoada e granizo
    0:50

    País

    O mau tempo está de regresso este fim de semana, sobretudo no sul do continente e na Madeira. Esta manhã, Faro acordou com uma chuva intensa de granizo, com quedas de árvores e pequenas inundações.

  • As imagens do granizo que caiu no Algarve
    0:47

    País

    Faro acordou hoje com uma intensa queda de granizo. Pedras de gelo, com cerca de meio centímetro de diâmetro, em especial entre as 06:30 e as 07:00 da manhã. Segundo o IPMA tratou-se de "uma linha de instabilidade" que foi subindo a norte, para os distritos de Beja e Setúbal, mas com menos intensidade" e que provocaram inundações pontuais na via publica e em garagens e algumas quedas de árvore.

  • Milhares de alunos trocam aulas pelas ruas contra armas nos EUA
    2:43
  • Rainha Isabel II faz hoje 92 anos
    2:36
  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59