sicnot

Perfil

Mundo

Nenhum fim "pode justificar a destruição de embriões humanos"

Andrew Medichini

O papa afirmou hoje que nenhuma investigação, por mais nobre que seja, "pode justificar a destruição de embriões humanos". "Algumas linhas de investigação, de facto, usam embriões humanos causando a sua destruição. Mas nenhum fim, por muito nobre que seja como a possibilidade de ser útil para ciência, para outros seres humanos ou para a sociedade, pode justificar a destruição de embriões humanos", disse o papa Francisco perante um grupo de pessoas que espera por uma cura.

O papa falava durante uma audiência a um grupo de pessoas com Huntington, uma doença neurodegenerativa de origem genética e hereditária, que participa num colóquio dedicado à doença, e manifestou "solidariedade com a América do Sul", onde esta tem uma incidência 500 a 1000 vezes maior em relação a outras regiões do mundo.

Francisco recebeu na ala Paulo VI, doentes e associações que se ocupam da alteração genética mortal, que não tem cura e que afeta 2,7 em cada 100 mil pessoas no mundo.

Ao dirigir-se a especialistas em genética e cientistas presentes, o papa argentino elogiou quem se dedica a estudar e a procurar uma cura para a doença.

"É óbvio que se olha para o vosso trabalho com muita expetativa: a esperança de encontrar um caminho para a cura definitiva da doença depende dos vossos esforços, mas também para melhorar as condições de vida destes irmãos", disse.

Por demasiado tempo, disse Francisco, os medos e as dificuldades que têm caracterizado a vida das pessoas com doença de Huntington têm criado à sua volta mal-entendidos, barreiras, e autênticas marginalizações, e em muitos casos, os doentes e as suas famílias têm vivido o drama da vergonha, isolamento e abandono.

Huntington é uma doença degenerativa do sistema nervoso central, causada pela perda de células numa parte do cérebro (gânglios da base).

Esta perda afeta a capacidade cognitiva, o equilíbrio emocional e a motricidade.

Os sintomas surgem muito gradualmente, geralmente entre os 30 e os 50 anos. No entanto, a doença pode por vezes atingir crianças e idosos.

Em Portugal, apesar de não existirem valores absolutos, alguns estudos indicam uma prevalência da doença semelhante à de outros países ocidentais, entre cinco a 12 doentes por 100 000 habitantes.

Lusa

  • "Hoje vi chover lume"
    3:57
  • A Minha Outra Pátria
    29:53
  • Milhares de clientes da CGD vão pagar quase 5€/ mês por comissões de conta
    1:24

    Economia

    Milhares de clientes da Caixa Geral de Depósitos (CGD), que até aqui estavam isentos de qualquer pagamento, vão começar a pagar quase 5 euros por mês por comissões de conta. A medida abrange também reformados e pensionistas e entra em vigor já em setembro. Ainda assim, os clientes com mais de 65 anos e uma pensão inferior a 835 euros por mês continuam isentos.

  • O apelo da adolescente arrependida de ir lutar pelo Daesh

    Daesh

    Uma adolescente alemã que desapareceu da casa dos pais, no estado da Saxónia, esteve entre os vários militantes do Daesh detidos este fim de semana na cidade iraquiana de Mossul. Arrependida do rumo que deu à sua vida, deixou um apelo emocionado em que expressa, repetidamente, a vontade de "fugir" e voltar para casa.

    SIC