sicnot

Perfil

Mundo

Refugiado sarauí constrói casas com garrafas de plástico

ACNUR

Num campo de refugiados no Saara Ocidental, um mestre em Eficiência Energética está a utilizar garrafas de plástico usadas para construir casas. Ele próprio refugiado, tenta deste modo fortalecer as habitações para que consigam passar pelas alterações climáticas.

A história de Tateh Lehbib Breica foi dada a conhecer pelo ACNUR, o Alto Comissariado das Nações Unidos para os Refugiados, num vídeo publicado na página do Facebook, onde foi apresentada a concepção e desenvolvimento destas casas.

"Perguntei-me a mim mesmo "O que posso fazer com estas garrafas?", disse Breica, numa entrevista publicada no site oficial da ACNUR.

A primeira ideia foi construir apenas uma casa sustentável para a sua avó, usando as garrafas de plástico para o teto. Contudo, quando o homem de 27 anos terminou essa casa, a sua ideia foi selecionada pela organização para ser financiada.

Tateh Lehbib Breica nasceu e foi criado no campo de refugiados de Awserd, no Saara Ocidental, estudou na Universidade de Argel com uma bolsa de estudos e, mais tarde, tirou um mestrado numa universidade em Espanha. Durante os estudos, Breica viu um documentário sobre construções com garrafas de águas. Foi daí que veio a ideia, que mais tarde se tornou bastante útil para os refugiados do Saara.

Hoje em dia, o clima do deserto em Tindouf - que inclui tempestades, fortes chuvas e temperaturas até aos 45 graus - danifica muitas vezes as casas de refugiados, que normalmente são tendas ou feitas de tijolos de barro. Uma tempestade em 2015, por exemplo, destruiu milhares de casas naquela área.

Aqui entra a ideia de Tateh Lehbib Breica. As casas feitas a partir de garrafas de plástico apresentam uma estrutura que irá durar mais tempo perante a chuva forte. A forma circular também as faz serem aerodinâmicas, o que ajuda durante as tempestades de areia.

Desde 2016, o engenheiro tem estado a trabalhar em conjunto com o ACNUR e, até ao momento, já foram construídas 25 casas entre os cinco campos de refugiados sarauí na área.

ACNUR

Breica usa cerca de seis mil garrafas de plástico em cada casa. As garrafas são encontradas e recolhidas pelos campos de refugiados e a vizinhança.

Cada recipiente é cheio com areia e palha, e depois tapado com cimento e calcário. As casas não só ajudam a resolver o problema do tempo complicado, mas também resolvem outro problema: o desperdício do plástico.

Em reconhecimento do seu trabalho, Breixa recebeu o prémio de Personalidade do ano 2016, de uma revista local. Já no campo de refugiados, passou a ser conhecido como o "Maluco por garrafas".

"As pessoas vêm-me como o homem obcecado por garrafas de plástico e que constrói casas estranhas."

  • Fogo na Sertã alastrou aos concelhos de Mação e Proença-a-Nova
    2:37

    País

    Mais de 700 bombeiros combatem o incêndio que começou este domingo na Sertã e, durante a noite foi empurrado pelo vento para outros dois concelhos. As chamas atingiram as zonas de Mação e de Proença-a-Nova, onde os habitantes dizem que há várias casas destruídas pelo fogo. Esta manhã, chegaram dois aviões espanhóis para ajudar a controlar as chamas.

  • Pelo menos cinco feridos em ataque na cidade suíça de Schaffhausen

    Mundo

    Pelo menos cinco pessoas ficaram hoje feridas na sequência de um ataque, na cidade suíça de Schaffhausen. De acordo com as autoridades, as vítimas foram atacadas por um homem armado com uma motosserra, que está a ser procurado pela polícia. As autoridades descartaram a hipótese de "ato terrorista".

    Em atualização

  • Governo reconhece seca severa no continente desde 30 de junho

    País

    O Governo reconheceu, hoje, a existência de uma situação de seca severa no território continental, desde 30 de junho, que consubstancia um fenómeno climático adverso, com repercussões negativas na atividade agrícola, em despacho publicado hoje em Diário da República.

  • Genro de Donald Trump depõe hoje no Senado

    Mundo

    Jared Kushner, genro do Presidente dos EUA Donald Trump, vai hoje depor à porta fechada perante o comité dos serviços de inteligência do Senado, a câmara alta do Congresso norte-americano.

  • " A melhoria das contas públicas não foi feita à custa dos portugueses"
    1:30

    País

    Numa espécie de balaço deste ano e meio de governação, o primeiro-ministro voltou a assinalar voltou a assinalar a redução do défice e as melhorias nas contas públicas. Num jantar com militantes em Coimbra, António Costa garantiu ainda que a "verdadeira reforça do Estado avança até ao final desta legislatura, que é a Descentralização.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Margem mínima de mil votos obriga a negociações intensas em Timor-Leste

    Mundo

    A Fretilin venceu sem maioria absoluta as lesgislativas para o VII Governo constitucional de Timor-Leste. De acordo com os dados oficiais, o partido de Mari Alkatiri obteve perto de 170 mil votos e conquistou 23 deputados. Já o partido de Xanana Gusmão que tinha vencido há cinco anos, ficou em segundo com 167 mil votos e 22 lugares no parlamento, num total de 65.

  • Projéteis com bolsas de água ajudam Israel a combater os fogos
    3:34

    Mundo

    Israel tem sido afetado por graves incêndios nos últimos meses. Várias empresas de armamento têm-se dedicado à luta contra o fogo e criaram, recentemente, uma nova arma para apagar fogos: um míssil de água, fabricado pela indústria de material de guerra, que tem ajudado bastante os bombeiros israelitas. A reportagem do correspondente da SIC no Médio Oriente, Henrique Cymerman, mostra-nos como funcionam os projéteis de água.

    Henrique Cymerman

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15