sicnot

Perfil

Mundo

Ataque suicida no centro do Iraque

(Arquivo)

Thaier Al-Sudani

Pelo menos 31 pessoas morreram esta sexta-feira e 24 ficaram feridas num ataque suicida num mercado da cidade de Musaib, na província de Babilónia, no centro do Iraque, informou uma fonte médica da administração de saúde da Babilónia.

Hoje, noutro atentado, pelo menos nove pessoas morreram quando um terrorista se fez explodir com um colete na entrada de um parque da cidade santa xiita de Kerbala, a 110 quilómetros a sul de Bagdad.

Os dois atentados suicidas ocorreram durante o mês sagrado do Ramadão e numa sexta-feira, dia mais importante da semana para os muçulmanos rezarem.

Por outro lado, a agência de notícias Amaq, ligada ao grupo terrorista Estado Islâmico (EI) informou que foram perpetradas "operações de martírio" contra "agrupamentos de xiitas" em Kerbala e na localidade de Musaib, na Babilónia.

A Amaq precisou que em Kerbala um terrorista com um cinto de explosivos se fez explodir, mas não especificou como foi efetuado o ataque em Musaib.

O EI está a perder os territórios que controlava no norte do Iraque, depois de vários meses de ofensiva contra Mossul, principal feudo do grupo no Iraque. As forças iraquianas conseguiram expulsar os 'jihadistas' da maior parte dos bairros da cidade, que foi conquistada pelo EI em junho de 2014 e se converteu na sua "capital" do Iraque.

Lusa

  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23

    País

    A Proteção Civil emitiu um alerta para o tempo frio e seco e pede cuidados redobrados. As temperaturas já começaram a descer, com regiões a registarem valores negativos. No interior, podem chegar aos 5 graus negativos. Até ao Natal o tempo vai manter-se frio, seco e com ausência de chuva.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • PS volta a subir nas intenções de voto e não baixa dos 40%
    2:01
  • Marcelo evita "ideia de que o ano foi todo muito bom"
    3:14

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa disse esta sexta-feira que 2017 teve "o melhor e o pior" e que "é preciso evitar a "ideia que o ano foi todo muito bom". O Presidente da República fez estas declarações depois de António Costa ter dito que a nível económico este "foi um ano particularmente saboroso".