sicnot

Perfil

Mundo

Erdogan manda prender presidente da Amnistia Internacional

Umit Bektas

O Presidente turco Tayyip Erdogan mandou prender o presidente da Amnistia Internacional na Turquia. O responsável pela organização tinha sido detido na terça-feira pelas autoridades por suspeita de ligações ao movimento do clérigo Fethullah Gülen, e acabou por ficar em prisão preventiva ontem à noite.

Taner Kilic foi detido juntamente com outros 22 advogados, na região de Izmir, dos quais oito também já ficaram em prisão preventiva.

As autoridades turcas acusam o responsável da Amnistia na Turquia de pertencer a uma organização terrorista e de ter tido no telemóvel um serviço de mensagens criadas que foi criado especialmente para os apoiantes de Gullen.

A Amnistia Internacional rejeita as acusações e sublinha a repressão e as purgas levadas a cabo pelas autoridades turcas.

  • Turistas chegam a esperar 2 horas no controlo de passaporte do Aeroporto de Lisboa
    2:35

    País

    Chegar ao Aeroporto de Lisboa pode ser uma dor de cabeça para centenas de passageiros. A espera para o controlo de passaporte chegou a ultrapassar as duas horas nos meses de fevereiro e março. Manuela Niza, do Sindicato dos Funcionários do Serviços de Estrangeiros e Fronteiras, diz que têm sido contratados inspetores que depois são desviados para outros serviços.

  • Hasta pública de madeira ardida rendeu 2,85 milhões de euros

    País

    Mais de meia centena de lotes de madeira ardida proveniente de matas nacionais e perímetros florestais geridos pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) foram esta quinta-feira vendidos por 2,85 milhões de euros, numa hasta pública em Viseu.

  • "Dinheiro gasto em contentores dava para construir outro hospital" no Porto
    1:40

    País

    A bastonária dos Enfermeiros pede uma investigação aos contratos de contentores no Hospital de São João, no Porto. Ana Rita Cavaco diz que os "milhares de euros" já gastos na contratação e manutenção dos contentores da Pediatria e outros serviços do centro Hospitalar de São João davam para construir um novo hospital. E levanta ainda a suspeita sobre a empresa contratada.