sicnot

Perfil

Mundo

Guterres chega a Cabul para se reunir com Governo em "momento de sofrimento"

© Amr Dalsh / Reuters

O secretário-geral da ONU chegou hoje a Cabul, onde irá reunir-se com líderes afegãos num "momento de violência e sofrimento" para o país, onde há 15 dias ocorreu o atentado mais sangrento desde 2001, que vitimou 150 pessoas.

"Acabo de chegar a Cabul para falar com o Governo e o povo [afegão]. As Nações Unidas estão com o Afeganistão num momento de violência e sofrimento", disse António Guterres numa mensagem deixada na rede social Twitter.

A missão da ONU, no país [Unama], não disponibilizou pormenores acerca da agenda de Guterres.

A chegada do secretário-geral da ONU acontece oito dias depois da reunião do Processo de Cabul, um mecanismo com mais de 20 países e organismos internacionais, em que o Presidente Ashraf Gani apelou aos talibãs para que se sentem à mesa das negociações, de modo a encontrarem uma solução para o conflito.

O Afeganistão vive um momento de incerteza e agitação, depois do pior atentado desde a invasão norte-americana.

O ataque gerou uma série de protestos contra o Governo afegão, que pediram a demissão dos atuais dirigentes do país.

A violência tem aumentado no Afeganistão desde o fim da missão de combate da NATO em janeiro de 2015, tendo-se registado, no ano passado, a morte de 3.500 civis, de acordo com a Unama.

Os talibãs têm ganho terreno em diversas partes do país e controlam, influenciam ou disputam com o Governo pelo menos 43% do território, segundo dados de Washington.

Lusa

  • Manuel Delgado demitiu-se devido a "grave violação da privacidade"

    País

    O ex-secretário de Estado da Saúde diz que apresentou a demissão para "não perturbar nem criar qualquer tipo de embaraço ao normal funcionamento do Governo". Num comunicado, Manuel Delgado esclarece que foi remunerado pelo trabalho de consultor na Raríssimas "muito antes" da entrada no Governo e acrescenta que respeitou na íntegra todo o quadro legal e ético.

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28