sicnot

Perfil

Mundo

Norte-americano libertado em coma pela Coreia do Norte tem grave lesão neurológica

Bryan Woolston

Uma porta-voz de um hospital de Ohio afirmou que o estudante universitário norte-americano que foi libertado pela Coreia do Norte em estado de coma sofreu uma "grave lesão neurológica".

Kelly Martin, do Centro Hospital da Universidade de Cincinnati, disse que a condição de Otto Warmbier é estável desde que chegou ao hospital há dois dias.

O pai do jovem, Fred Warmbier, disse hoje que não acredita nas explicações fornecidas pela Coreia do Norte de que o coma foi resultado de botulismo e pílulas para dormir. Warmbier disse que é um alívio ter o filho em casa, nos braços de quem o ama, e falou da raiva àqueles que trataram o filho de forma brutal durante tanto tempo.

Otto Warmbier, libertado pela Coreia do Norte depois de ser condenado, no ano passado, a 15 anos de trabalhos forçados por ter roubado um cartaz num hotel, chegou na terça-feira ao estado do Ohio.

O avião que transportava o jovem norte-americano chegou pelas 22:20 de terça-feira (3:20 de hoje em Lisboa) a um aeroporto em Cincinnati, de onde foi levado para o hospital. Segundo os pais, o jovem de 22 anos está em coma há mais de um ano.

O secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, disse ainda que está a trabalhar para a libertação de outros três cidadãos norte-americanos detidos na Coreia do Norte.

Otto Warmbier foi condenado a 15 anos de trabalhos forçados pelo Supremo Tribunal norte-coreano em março do ano passado, depois de ter admitido ter roubado um cartaz decorado com uma palavra de ordem de cariz político num hotel em Pyongyang, onde estava hospedado, no âmbito de uma digressão em janeiro de 2016.

O jovem foi acusado de "atividades hostis" e conspiração contra a unidade da Coreia do Norte.

Lusa

  • "O ministro está na frigideira"
    5:33

    Opinião

    O ministro da Segurança Social, Vieira da Silva, "está cada vez mais numa posição fragilizada" devido às suspeitas de irregularidades na associação Raríssimas, diz o subdiretor de Informação da SIC, Bernardo Ferrão. Vieira da Silva já falou sobre o caso duas vezes, mas "sempre de forma algo atralhada" e "ainda não matou todas as dúvidas".

    Bernardo Ferrão

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55
  • Democratas não venciam no Alabama há 27 anos
    1:50