sicnot

Perfil

Mundo

Manifestantes irados devido a incêndio de Londres invadem serviço de administração local

Toby Melville

Dezenas de manifestantes irados após o incêndio do edifício Grenfell em Londres, que causou pelo menos 30 mortos, invadiram esta sexta-feira o serviço de administração local, do qual depende o prédio de habitação social, constataram jornalistas da AFP.

A multidão encheu o átrio do edifício da administração de Kensington e Chelsea e foi travada na escada que dá acesso ao primeiro andar, face a seguranças privados.

Segundo a agência France Presse, registaram-se alguns encontrões e o ambiente era de muita tensão.

"Exigimos justiça", "Que vergonha", gritavam os manifestantes, alguns dos quais tinham cartazes com a frase: "Justiça para Grenfell".

Várias centenas de pessoas estavam também concentradas diante do edifício, mostrando aos 'media' cartazes com imagens das pessoas ainda desaparecidas.

Os serviços de emergência falam de "dezenas" de desaparecidos no incêndio na torre Grenfell, com 24 andares, 120 apartamentos e entre 400 e 600 moradores.

Desde o incêndio, na madrugada de quarta-feira, numerosas pessoas têm criticado severamente a gestão do edifício, considerada negligente, considerando muitos que se devia ao facto de se tratar de alojamento social.

Os seus alertas contra o perigo de incêndio foram ignorados durante anos.

Especialistas questionaram o revestimento do edifício, colocado em 2015, pois continha polietileno, o que poderia explicar a rapidez com que se propagou o fogo.

Segundo o jornal Times, a utilização daquele tipo de revestimento é proibida nos Estados Unidos para os edifícios com mais de 12 metros de altura.

Lusa

  • Presidente da Proteção Civil demitiu-se

    País

    O Presidente da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC), Joaquim Leitão, pediu esta quarta-feira a demissão com efeitos imediatos. A carta de demissão foi enviada para o Ministério da Administração Interna, no entanto, uma vez que a ministra também se demitiu, o documento seguiu para o gabinete do primeiro-ministro, António Costa.

  • "Foi um golpe muito forte"
    1:41
  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão

  • SIC acompanhou Francisco George no último dia como diretor-geral da Saúde
    6:20