sicnot

Perfil

Mundo

Justiça francesa investiga evento em viagem de Macron a Las Vegas

A Procuradoria de Paris anunciou esta sexta-feira que vai investigar suspeitas de favorecimento na organização de um evento durante uma visita do presidente Emmanuel Macron a Las Vegas, Estados Unidos, em 2016, quando era ministro da Economia.

"Com base nos primeiros elementos do inquérito preliminar", aberto a 13 de março, a Procuradoria de Paris decidiu "abrir uma informação judiciária contra desconhecidos por favoritismo", segundo um comunicado.

Em causa está um evento organizado a 6 de janeiro de 2016 em Las Vegas, quando decorria o Consumer Electronics Show (CES), a maior feira de inovação tecnológica, no qual Macron se reuniu com dirigentes de startups (empresas emergentes) francesas.

A Business France, a agência pública dirigida na altura pela atual ministra do Trabalho, Muriel Pénicaud, é suspeita de ter infringido a regulamentação sobre mercados públicos ao não lançar um concurso público para a organização do evento, entregue à empresa de comunicação Havas em dezembro de 2015.

"As condições concorrenciais não foram garantidas entre os três prestadores contactados", Havas, Apco e Publicis, concluiu em julho de 2016 uma auditoria do gabinete legal E&Y.

Divulgada pelo diário Libération, a auditoria revelou que não existiu "nenhuma requisição, orçamento, contrato ou fatura", uma situação suscetível de envolver "responsabilidade penal dos envolvidos".

Muriel Pénicaud é suspeita de ter sido informada previamente daquelas irregularidades e de ter retardado a comunicação ao conselho de administração do relatório da auditoria, assim como de, ao fazê-lo, ter apresentado um resumo truncado do mesmo.

Neste quadro, é possível que a ministra venha a ser formalmente acusada com base em "indícios graves e concordantes".

O inquérito visa também apurar que papel desempenharam no caso alguns membros do gabinete de Macron no Ministério da Economia.

Lusa

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar diretamente a polémica em torno da lista das vítimas mortais de Pedrógão Grande, mas recorreu às cheias de 1967 para lembrar como as tragédias eram tratadas no tempo da ditadura. O Presidente da República defendeu que não é possível esconder a dimensão de uma tragédia num regime democrático. Há 50 anos, Marcelo Rebelo de Sousa acompanhou de perto a forma como o regime tentou esconder a verdadeira dimensão do incidente.

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • À descoberta de Dago, o destroço mais visitado em mergulho de profundidade
    13:51
  • Uma viagem aérea pela aldeia histórica de Monsanto
    0:50
  • "Comecei por ajudar uma família que me pediu um plástico para se proteger"
    4:51
  • Quase três mil toneladas de plástico ameçam tartarugas no Mediterrâneo
    2:35

    Mundo

    O Mar Mediterrâneo está sob a ameaça de se tornar uma lixeira com três mil toneladas de plástico a flutuarem entre a Europa e África. Há milhões de turistas a nadarem nestas águas e há espécies marinhas que já estão em perigo. No Chipre, os cientistas estão a tentar proteger tartarugas, cuja alimentação já é quase totalmente de plástico.

  • Deputado da Malásia diz que negar sexo ao marido é uma forma de abuso

    Mundo

    Um deputado malaio tem sido alvo de algumas críticas na internet, depois de ter dito que negar sexo a maridos é uma forma de abuso psicológico e emocional por parte das mulheres. As declarações de Che Mohamad Zulkifly Jusoh foram feitas durante um debate sobre as alterações às leis de violência doméstica, na quarta-feira.

    SIC