sicnot

Perfil

Mundo

Michel Temer diz que não há crise económica no Brasil

Eraldo Peres

O Presidente brasileiro, Michel Temer, rejeitou hoje que o Brasil esteja a atravessar uma crise económica e defendeu que a crise política não afeta o desempenho da economia.

"Não existe crise económica no Brasil. Estamos a crescer no emprego, na indústria e no agronegócio. No Brasil não existe crise económica", afirmou o chefe de Estado brasileiro, em Hamburgo, citado pelo jornal brasileiro O Globo.

Temer participará na cimeira do G20 - grupo dos 20 países mais industrializados -, que decorre até sábado nesta cidade alemã.A economia brasileira está no patamar de 2010.

A taxa de desemprego situou-se nos 13,3% no trimestre encerrado em maio, afetando 13,8 milhões de pessoas, a taxa mais elevada para este semestre desde 2012. Já a produção industrial, em 12 meses, recua 2,4%.

O Produto Interno Bruto (PIB) teve uma subida de 1% no primeiro trimestre deste ano, em comparação com os últimos três meses de 2016, mas influenciado principalmente pelo bom desempenho da agropecuária.

Na comparação com o primeiro trimestre de 2016, o PIB caiu 0,4%. Questionado se a crise política não atrapalharia a retoma do crescimento económico do país, Temer apenas disse "não", fazendo um sinal negativo com o dedo indicador da mão.

O Presidente justificou a viagem a Hamburgo, que tinha cancelado na semana passada."Haverá a reunião dos BRIC (grupo que reúne o Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) , onde vamos discutir naturalmente o desenvolvimento desta aliança entre os cinco países e de alguma maneira participar nesta grande reunião que é o G20, onde alguns temas fundamentais para os membros do grupo serão debatidos, entre eles o meio ambiente", disse.

O ministro da Fazenda (Finanças), Henrique Meirelles, afastou que o país esteja numa situação de "ingovernabilidade" -- expressão utilizada pelo presidente do PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira) -, mas reconheceu alguma influência da crise política no desempenho da economia.

O ministro destacou no entanto a recuperação económica. "Existe, sim, uma certa diminuição do nível de confiança, mas num terreno positivo. Estamos bastante focados na agenda económica", disse, citado pelo mesmo jornal.

"A economia vai bem, o que é o aspeto mais relevante. O mercado tem mantido uma relativa estabilidade, e do nosso ponto de vista também continuamos com alguns ajustes de cronograma, trabalhando com os deputados, tendo em vista a aprovação das reformas", disse.

Segundo o governante brasileiro, a reforma do mercado laboral está a avançar e a reforma da Previdência (Segurança Social) deverá ser discutida no segundo semestre".

Questionado se poderia continuar como ministro da Fazenda num novo governo, no caso da destituição de Temer, disse apenas: "Não trabalho por hipóteses".

Sobre a mensagem que vai transmitir aos restantes países em Hamburgo, a propósito da crise política brasileira, Meirelles explicitou que irá garantir que "o país prossegue com as instituições funcionando bem, dentro da Constituição, das normas vigentes".

Em breve a Câmara dos Deputados vai tomar uma decisão sobre a denúncia de Temer, referiu, acrescentando que a expectativa do Governo é que "não seja aceite".

"O mais importante, do ponto de vista dos ministros de Economia, é que a economia funciona bem e está a dar mostras de resiliência e de força neste período de alguma incerteza", declarou.

Com Lusa

  • Protestos contra Temer no Rio de Janeiro terminaram em violência
    0:28

    Mundo

    O dia de greve geral no Brasil acabou por terminar em violência com confrontos entre manifestantes e polícia. No Rio de Janeiro, as autoridades lançaram gás lacrimogéneo para a multidão que respondeu com fogo de artifício. Num incidente isolado, alguns manifestantes agrediram um homem que disseram ser um polícia infiltrado no protesto. O que começou por ser uma pequena ação pacífica contra o Governo de Michel Temer e as reformas laborais e da segurança social não só terminou em violência como tomou grandes proporções. Vários milhares de pessoas acabaram por participar no protesto nas ruas do Rio de Janeiro.

  • Temer acusado de prejudicar Polícia Federal
    2:36

    Operação Lava Jato

    O Presidente do Brasil Michel Temer, denunciado esta semana por corrupção na Operação Lava Jato, é acusado de querer prejudicar a Polícia Federal, organismo que coordena as investigações. A instituição suspendeu a partir desta quarta-feira a emissão de passaportes com o argumento de que não recebe dinheiro suficiente do Governo.

  • Michel Temer diz que não há provas para ser acusado
    3:28

    Mundo

    O Presidente do Brasil, Michel Temer, diz que está a ser vítima de "uma ficção", não havendo provas para ser acusado. É a resposta de Temer à acusação de corrupção passiva. A denúncia é resultado de uma investigação que começou em maio, no âmbito da Operação Lava Jato, após a delação premiada do empresário Joesley Batista, um dos donos do grupo JBS.

  • Encontrados destroços do avião que caiu no Irão

    Mundo

    As autoridades iranianas encontraram destroços do avião que caiu no domingo no sudeste do país, matando as 66 pessoas que seguiam a bordo, revelou um porta-voz da Guarda Revolucionária, o exército de elite do regime.

  • 2,6 milhões de bebés morrem antes de completar um mês

    Mundo

    Os recém-nascidos no Paquistão, República Centro-Africana e Afeganistão são os que têm menor probabilidade de sobreviver, de acordo com um relatório da Unicef que revela que todos os anos 2,6 milhões de crianças morrem antes de completar um mês. Sobretudo nos países mais pobres do mundo, o número de mortes de recém-nascidos a nível global mantém-se assustadoramente elevado.

  • Galp regista lucro de 602 M€ em 2017 

    Economia

    A Galp registou um lucro de 602 milhões de euros no ano passado. Uma subida de 25 por cento em relação a 2016. De acordo com a empresa, os resultados devem-se sobretudo ao aumento da produção de petróleo e gás natural no Brasil, bem como o crescimento dos negócios da refinação e distribuição.

  • Mulher enterrada viva no Brasil
    1:13

    Mundo

    Uma mulher de 37 anos terá sido enterrada viva no oeste da Bahia, no Brasil. A certidão de óbito aponta um choque séptico como a causa da morte, mas os ferimentos com que foi encontrada no interior do caixão indicam um possível erro. Os moradores de casas vizinhas do cemitério municipal onde Rosângela dos Santos foi enterrada ouviram gritos vindos do túmulo.

  • "Os Estados Unidos são uma sociedade de pistoleiros"
    3:47
  • Trump desafia Oprah a candidatar-se para ser derrotada

    Mundo

    Apesar de Oprah Winfrey ter excluído uma eventual candidatura às eleições presidenciais dos Estados Unidos da América, Donald Trump ainda não se esqueceu dos rumores e desafiou a apresentadora a candidatar-se em 2020. Através do Twitter, o Presidente norte-americano disse ainda que assim poderia ser "exposta e derrotada como todos os outros".

    SIC