sicnot

Perfil

Mundo

Ministro alemão compara autores dos distúrbios no G20 a "neonazis"

POOL New

O ministro do Interior alemão condenou esta segunda-feira a "brutalidade incrível" dos distúrbios à margem da Cimeira do G20 em Hamburgo e comparou os autores dos tumultos a "neonazis" e a "terroristas".

"Não eram manifestantes", disse Thomas de Maizière, da União Democrata-Cristã (CDU), numa conferência de imprensa em Berlim. "Eram extremistas violentos, do mesmo tipo que os neonazis ou os terroristas islamitas", acrescentou.

A Cimeira do G20, que na sexta-feira e no sábado reuniu em Hamburgo os dirigentes do grupo de 20 países emergentes e industrializados, ficou marcada por distúrbios e atos de violência a um nível não esperado pelas autoridades.

Nas ruas de Hamburgo, entre quinta e sexta-feira, quase 500 dos 20.000 polícias destacados sofreram ferimentos ligeiros em confrontos com manifestantes.

A polícia deteve 186 pessoas, mas não foram divulgados números de manifestantes feridos.

O ministro condenou o que designou como "turistas da violência", afirmando que "centenas de pessoas" foram de outros países europeus para a Alemanha com o objetivo de participar nos distúrbios.

Lusa

  • Famílias das vítimas de Pedrógão criam associação para apurar responsabilidades
    2:13
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15