sicnot

Perfil

Mundo

Estado de saúde de dissidente chinês Liu Xiaobo agravou-se

O estado de saúde do dissidente chinês Liu Xiaobo agravou-se nas últimas horas com a falência de vários órgãos, informou esta terça-feira o hospital onde o prémio Nobel da Paz 2010 está internado.

Liu, 61 anos, tem uma infeção abdominal, peritonite, disfunção de órgãos e choque séptico, precisou o estabelecimento de saúde, adiantando que os médicos estão a fazer todos os esforços para lhe salvar a vida.

"O paciente continua a receber cuidados de emergência", indica num comunicado o hospital universitário de Shenyang (nordeste da China), que na segunda-feira tinha revelado que o opositor estava "num estado crítico".

Liu foi colocado em liberdade condicional e hospitalizado após ter sido diagnosticado em maio com um cancro do fígado em fase terminal.

Antes, tinha passado mais de oito anos preso, condenado por subversão.Pequim continua a recusar que o dissidente seja tratado no estrangeiro, apesar de vários países, entre os quais a Alemanha e o Reino Unido, terem voltado a apelar à China na segunda-feira para que permita a saída de Liu Xiaobo.

Questionado sobre este assunto, o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês, Geng Shuang, apelou hoje àqueles países para "não interferirem nos assuntos internos da China, sob pretexto (de defender) um caso particular".

"Estou muito preocupado: ele arrisca-se a morrer preso, porque as autoridades chinesas rejeitam o seu pedido de ser tratado no estrangeiro (...) É muito triste e escandaloso ver um laureado com o prémio Nobel ser tratado deste modo", declarou à agência France-Presse Patrick Poon, responsável pela China da Amnistia Internacional.

O ativista, intelectual e dissidente foi detido por ter participado na redação de um manifesto conhecido por "Carta 08", em que se exigiam reformas fundamentais no regime chinês.

Lusa

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15