sicnot

Perfil

Mundo

"Bosque da memória" recorda vítimas do voo MH17, três anos depois da tragédia

POOL New

Cada uma das 298 pessoas que morreram na queda do voo MH17 da Malaysia Airlines em julho de 2014 no leste da Ucrânia foram esta segunda-feira recordadas na Holanda durante a inauguração de um monumento dedicado à sua memória.

Três anos depois do acidente, perto de 2.000 familiares e amigos das vítimas, das quais 196 eram cidadãos holandeses, participaram na inauguração do "bosque da memória", onde foram plantadas 298 árvores, uma por cada pessoa que perdeu a vida no acidente.

Cada árvore está identificada com um nome de uma vítima. Por exemplo, uma macieira em flor será dedicada a Gary, um adolescente de 16 anos oriundo da cidade holandesa de Roterdão, cujo corpo ainda não foi recuperado.

O "bosque" fica localizado no parque de Vijfhuizen, nas imediações do aeroporto internacional Amsterdam-Schiphol, de onde descolou o aparelho em julho de 2014.

O avião de passageiros da Malaysia Airlines, um Boeing 777, foi abatido a 17 de julho de 2014 sobre o leste da Ucrânia, numa zona sob controlo dos separatistas pró-russos, matando todas as 298 pessoas (tripulantes e passageiros) que seguiam a bordo.

Segundo o relatório final da investigação preliminar liderada pelo Departamento de Segurança da Holanda, divulgado em junho de 2016, o avião que fazia a ligação entre Amesterdão (Holanda) e Kuala Lumpur (Malásia), foi abatido por um míssil terra-ar BUK, de fabrico russo, que atingiu o aparelho do lado esquerdo do cockpit.

Na cerimónia desta segunda-feira, e na presença dos reis da Holanda, Willem-Alexander e Maxima, as famílias e amigos das vítimas leram o nome de cada passageiro e de cada tripulante.

POOL New

Um grupo de 17 crianças de Vijfhuizen depositou as primeiras flores junto ao memorial. Seguindo-se os mais próximos das vítimas holandesas, mas também das vítimas que eram oriundas de países como a Austrália, Malásia, Reino Unido e Alemanha.

A bordo do avião estavam pessoas de 17 nacionalidades diferentes.

Estas "298 árvores querem manter viva a memória das vítimas", indicou a fundação das vítimas do voo MH17, num comunicado.

A fundação realçou que este "bosque verde" pretende ser "um oásis de reflexão, conforto e esperança".

Girassóis serão plantados no verão numa referência aos campos de flores ucranianos, onde foram encontradas algumas partes do aparelho.

Financiado por doações, o projeto do memorial foi desenvolvido pelo artista Ronald A. Westerhuis e pelo arquiteto paisagista Robbert de Koning. O projeto foi escolhido em novembro de 2015 por 60% dos familiares das vítimas, que tiveram que votar entre três propostas.

Segundo a descrição dos media holandeses, o memorial terá uma estrutura de aço que representa um olho a olhar para o céu. Os nomes das 298 vítimas vão estar igualmente gravados na pupila do olho de aço.

Durante a investigação conduzida pelas autoridades holandesas, uma centena de pessoas "que desempenharam um papel ativo" na queda do aparelho foram identificadas pelos investigadores.

Três anos depois, os alegados responsáveis não foram ainda detidos, mas as autoridades holandesas anunciaram no início de julho que estas pessoas serão julgadas na Holanda.

Lusa

  • Marcelo já sabia da substituição do embaixador de Angola
    4:00

    País

    O Presidente da República sabia há bastante tempo da substituição do embaixador de Angola em Lisboa e já tinha aprovado o nome do futuro representante de Luanda. A revelação foi feita, esta terça-feira, por Marcelo Rebelo de Sousa, numa conversa exclusiva com a SIC no Palácio de Belém. O Presidente contou ainda que não vai enviar recados ao Governo nem aos partidos no discurso de 25 abril que vai fazer na Assembleia da República.

    Exclusivo SIC

  • Constitucional chumba algumas normas da lei de barrigas de aluguer

    País

    O Tribunal Constitucional chumbou algumas normas do acórdão sobre as barrigas de aluguer. De acordo com o Expresso, a decisão já foi comunicada à Assembleia da República. A obrigatoriedade da regulamentação da lei ser feita pelo Parlamento e não pelo Governo terá sido unânime.

  • A história do bebé que continua a lutar pela vida depois de terem desligado as máquinas

    Mundo

    Alfie Evans sofre de uma doença cerebral degenerativa. A sua condição levou o caso à justiça e, depois de uma batalha judicial entre os pais e o hospital, os juízes determinaram que as máquinas do suporte artificial de vida fossem desligadas. Apesar de os aparelhos terem sido desligados na segunda-feira à noite, segundo os pais, a criança de 23 meses continua a lutar pela vida, respirando sozinha.

    SIC

  • O 10 de julho de 1941 na escrita de João Pinto Coelho
    15:09
  • O recado de Donald Trump à Coreia do Norte 

    Mundo

    O Presidente norte-americano, Donald Trump, exortou Pyongyang a eliminar todo o seu arsenal nuclear, precisando o que queria dizer exatamente ao apelar para a "desnuclearização" do regime totalitário, antes de uma aguardada cimeira com o líder norte-coreano.

  • O vestido de noiva de Megan Markle
    1:17