sicnot

Perfil

Mundo

A verdadeira "avozinha gângster" foi presa, mais uma vez

Doris Payne, aos 85 anos

John Bazemore / AP

Doris Payne, de 86 anos, uma vida dedicada ao crime. Valiosas jóias foram sempre o seu alvo, roubos que totalizaram cerca de 2 milhões de dólares (1,7 M€) pelos quais foi detida várias vezes e algumas ditaram sentenças de prisão. Mas esta segunda-feira, Doris foi detida num supermercado por ter roubado mercadoria no valor de 86,22 dólares, pouco mais de 74 euros.

Doris Payne é conhecida na "alta roda" dos roubos de jóias: da Cartier à Tiffany's, de Monte Carlo ao Japão. Em 60 anos de carreira roubou jóias no valor de cerca de 2 milhões de dólares (1,7 M€).

A sua vida é contada no documentário de 2013, "A vida e os crimes de Doris Payne", onde ela própria conta os pormenores da sua vida. Numa entrevista concedida à agência AP no ano passado, confessou de forma casual: "Eu era uma ladra".

De sentenças de prisão a um delito menor

Há apenas quatro meses tinha regressado ao tribunal acusada de roubar um colar no valor de 2 mil dólares, em dezembro do ano passado.

Mas desta vez foi diferente, diz o advogado Drew Findling à agência AP.

"Isto contrasta com todos os casos do passado. Não estamos a falar de valiosas jóias. Estamos a falar de uma senhora de 86 anos que precisa de sobreviver no dia a dia, alimentos e medicamentos", sublinha o advogado.

O relatório da polícia não especifica o que Doris roubou do supermercado Walmart na passada segunda-feira, relata apenas o que um empregado viu: uma senhora de 86 anos a passar pelos corredores da farmácia, mercearia e eletrónica, a colocar bens no carrinho e outros na mala. Pagou aqueles que estavam no carrinho, mas não os outros, pelo que o empregado chamou a segurança que deteve a senhora.

Quando Doris foi colocada na cela de Chamblee, Georgia, a polícia descobriu que usava uma pulseira eletrónica. Estava em liberdade condicional após uma detenção anterior em DeKalb County. Em março declarou-se culpada do roubo de um colar de 2 mil dólares de uma loja Von Maur, em dezembro do ano passado.

Foi levada de Chamblee para DeKalb County, de novo presa por violação da liberdade condicional.

Doris estava há apenas 10 dias de novo em liberdade, já sem a pulseira eletrónica, quando foi esta segunda-feira detida no supermercado, conta o advogado à AP.

Ladra de jóias aos 20 anos

Doris Payne cresceu em West Virginia e mudou-se com a família para Ohio quando era adolescente.

Doris Payne com 75 anos, detida em Las Vegas em 2005 pelo roubo de um anel.

Doris Payne com 75 anos, detida em Las Vegas em 2005 pelo roubo de um anel.

JAE C. HONG / AP

As autoridades dizem que usou pelo menos 22 pseudónimos ao longo dos anos e terá escapado mais vezes do que foi apanhada, embora tenha passado várias vezes pela prisão.

A Jewelers' Security Alliance, organização que trabalha contra os roubos de joalharia, tem um ficheiro sobre Doris desde o início dos anos 1970.

Na entrevista à AP, Doris contou que, em criança, o dono de uma loja a deixou experimentar um relógio. E que se esqueceu que o tinha no pulso quando saiu da loja, no momento em que o dono atendia um cliente.

Afirmou que devolveu o relógio, mas foi nessa altura que percebeu que uma simples distração tornava fácil sair de uma loja com um belo objeto nas mãos. Começou a carreira de ladra de jóias aos 20 anos, quando concluiu que essa era uma boa forma de "ganhar" a vida.

NOTA: A "Avozinha Gângster" é o título de um livro juvenil da autoria do escritor britânico David Walliams.

  • A casa dos horrores
    7:57
  • PGR e presidente do Supremo deixam recado à ministra da Justiça
    2:45

    País

    Durante a abertura do ano judicial, a Procuradora-Geral da República e o presidente do Supremo Tribunal aproveitaram para deixar um recado à ministra da Justiça: é urgente aprovar o novo estatuto de juízes e magistrados. O presidente do Supremo diz que é injusta a má imagem da Justiça e pediu contenção aos magistrados.

  • Rui Rio tem sentido "alguma turbulência" no PSD
    2:01

    País

    Rui Rio e Pedro Passos Coelho tiveram esta quinta-feira a primeira reunião, desde que foi eleito o novo líder do PSD. À saída, Passos Coelho desejou que esta transição decorra com naturalidade. Já Rui Rio disse que tem sentido alguma turbulência no partido.

  • Sindicatos rejeitam fim das baixas médicas até três dias
    2:02

    País

    A CGTP quer levar o tema das baixas médicas à Concertação Social, já a UGT diz que há outras matérias prioritárias. Ainda assim as duas centrais sindicais lembram que a não justificação de faltas pode dar origem a um despedimento por justa causa. Esta quinta-feira o bastonário da Ordem dos Médicos propôs ao Governo que acabe com as baixas de curta duração, até três dias.

  • Papa interrompe percurso no Chile para ajudar polícia
    0:21
  • "Mundo à Vista" no Gana
    7:38