Mundo

Central nuclear francesa "sob vigilância reforçada" devido a falhas de segurança

Regis Duvignau / Reuters

A central nuclear francesa de Belleville-sur-Loire (centro) foi colocada "sob vigilância reforçada", um procedimento excecional, devido à "degradação do nível de segurança" desde 2016, anunciou hoje a Autoridade de Segurança Nuclear (ASN) do país.

Em comunicado, a ASN explica ter constatado "uma subida do número de eventos significativos" e "de deficiências" da energética francesa EDF na vigilância e manutenção das instalações.

A autoridade do nuclear diz ter apontado em 2016 "diversas falhas do operador na identificação e na análise das consequências das anomalias que afetam alguns equipamentos importantes para a segurança".

E acrescenta ter detetado "uma degradação na qualidade das respostas fornecidas e uma reatividade insuficiente do operador".

Uma inspeção aprofundada foi realizada em abril deste ano, tendo ficado evidentes "as carências" na organização da companhia elétrica para a vigilância e a manutenção das instalações.

A autoridade explica que a "vigilância reforçada" se traduzirá em "controlos suplementares" na central e numa supervisão da aplicação dos "ajustes necessários em matéria de organização".

Uma inspeção de controlo será realizada em 2018 para verificar se estão em marcha as medidas necessárias para corrigir as falhas encontradas.

A central nucleare de Belleville-sur-Loire tem dois reatores de 1.300 megawatts cada um e a companhia elétrica responsável iniciou um programa de investimentos de mais de 2.000 milhões de euros naquela unidade, em atividade há 30 anos, para que possa prolongar-se a sua vida útil.

Lusa